sexta-feira, 24 de junho de 2016

Ex-clérigo muçulmano: “Foi o Corão que me converteu ao Cristianismo”







De sacerdote muçulmano a missionário católico: conheça o incrível testemunho do indiano Mario Joseph, que descobriu Jesus Cristo lendo o Alcorão. “Para ter vida eterna, você precisa de Jesus, e não só isso, você precisa da Igreja Católica.”
O indiano de ascendência turca Mario Joseph é o terceiro de uma família muçulmana de seis irmãos. Depois de uma gestação difícil, em que os médicos chegavam a temer por sua vida, Mario foi "dedicado" por sua mãe a Alá e, desde cedo, teve uma vida muito diferente da que seus irmãos levavam. Separado para o serviço religioso, ele cresceu sem ir à escola, até os 8 anos, quando começou a frequentar um colégio islâmico para assumir a função de " mawlana", uma espécie de clérigo do Islã. Antes de completar 18, Mario Joseph já era imã e chefe religioso de uma comunidade muçulmana na Índia.
O que ele não imaginava era que a sua vida virasse totalmente de ponta cabeça, depois que ele procurasse conhecer a fundo um dos profetas mencionados no Alcorão. Seu nome era Jesus Cristo.
Abaixo, excertos de uma entrevista concedida pelo agora missionário cristão Mario Joseph, à apresentadora Cristina Casado, do programa Cambio de agujas, do canal HM Televisión.

"Quem é Jesus?"

"Eu trabalhava em uma mesquita, como 'pároco', e um dia, enquanto eu pregava em minha comunidade que Jesus Cristo não era Deus – pois, para mim, Deus era apenas Alá e, como ele nunca se havia casado, não tinha nenhum filho –, alguém da multidão, talvez até um muçulmano, perguntou-me: 'Quem é Jesus?'. Eu estava pregando que ele não era Deus, mas a sua pergunta era: 'Quem é Jesus?'."
"Para saber quem ele era, li o Corão inteiro mais uma vez – 114 capítulos, 6.666 versículos. Quando li, encontrei o nome do profeta Maomé em 4 lugares, mas o nome de Jesus, eu achei em 25. A partir de então, comecei a ficar um pouco confuso. Por que o Alcorão dava mais preferência a Jesus?"
"Uma segunda coisa era que eu não conseguia ver o nome de nenhuma mulher no Corão, nem o da mãe de Maomé, nem o de sua esposa, nem o de suas filhas, nada. Lá, há um único nome de mulher que encontrei: Maria, mãe de Jesus, e nenhum outro. O capítulo 3 do Corão se chama 'Família de Maria' e o 19, simplesmente 'Maria'. Um capítulo todo dedicado a ela. Então, eu fiquei curioso para saber por que o Corão dizia todas aquelas coisas."
"Na surata III, versos de 45 a 55, há dez coisas que o Corão fala a respeito de Jesus: a primeira é 'Palavra de Deus'; a segunda, 'Espírito de Deus'; e a terceira, 'Jesus Cristo'. O Corão também diz que Jesus falou quando era pequeno, com 2 dias, logo depois de seu nascimento (v. 46); diz que ele criou um pássaro vivo a partir do barro, que ele pegou um pouco de lama, soprou e a lama se tornou um pássaro vivo (o que significava que ele podia dar vida, eu supunha); diz que ele curou um cego de nascença, um leproso etc (v. 49). Curiosamente, o Alcorão diz que Jesus dava a vida aos mortos, subiu aos céus, que ainda está vivo e que vai voltar de novo."
"Quando eu vi todas essas coisas, meu pensamento foi: e o que o Corão diz sobre Maomé? Sabe, de acordo com o Corão, o profeta não é nem Palavra de Deus, nem Espírito de Deus, não falou quando tinha 2 dias, nunca criou nenhum pássaro com barro, nunca curou nenhum doente, nunca ressuscitou nenhum morto – ele mesmo morreu e, segundo o Islã, não está vivo e não vai voltar. Então, há muita diferença entre esses dois profetas."
"Eu não chamava Jesus de Deus. Minha ideia era de que ele era um profeta, porém maior do que Maomé. Então, um dia, eu fui a um professor, que tinha me ensinado por 10 anos no colégio árabe, e perguntei-lhe: 'Professor, como Deus criou o universo?' Ele disse: 'Deus criou o universo por meio da palavra, através da Palavra'. E eu perguntei, então: 'A Palavra é criadora ou criatura?' Se ele dissesse que a Palavra de Deus era criadora, isso significaria que Jesus é criador e, portanto, os muçulmanos deviam fazer-se cristãos. Se ele dissesse que a Palavra é criação, ele cairia em contradição porque, se tudo foi criado pela Palavra, como Deus, então, teria criado a Palavra? Não podendo dizer que a Palavra é criadora nem criatura, ele, furioso, empurrou-me da sua sala e disse: 'A Palavra não é criadora, nem criatura, saia já daqui'."

"Lê a Bíblia"

"Então, eu disse ao meu professor: 'A Palavra não é criadora, nem criatura, e por isso os cristãos dizem que a Palavra é Filho de Deus'. Daí, ele me disse que, se há um filho de Deus, eu deveria mostrar-lhe a esposa de Deus. Sem esposa, impossível ter um filho. Mostrei-lhe um trecho do Corão, que diz que Deus pode ver, não tendo olhos; falar, não tendo língua; e ouvir, não tendo ouvidos. 'Se é assim, eu disse, ele pode ter um filho sem uma esposa.'"
"Nós tivemos uma grande discussão, e sabe o que eu fiz no final? Peguei meu Corão, abracei-o contra o meu peito e disse: 'Alá, dizei-me o que eu devo fazer. O vosso Corão diz que Jesus está vivo ainda e Maomé não está mais. Dizei-me qual deles eu devo aceitar.' Depois da minha oração, abri o Corão – sem perguntar a ninguém, apenas a Alá – e li o capítulo X, versículo 94, que dizia: 'Se tiveres alguma dúvida sobre esse Corão que te dou, lê a Bíblia ou pergunta ao seu povo, aqueles que leem a Bíblia'."
"Então, se você me perguntar quem me fez cristão, eu direi que não foi nenhum sacerdote, nenhuma religiosa, nenhum bispo, nenhum cardeal, nem mesmo o Papa. Foi o Corão que me converteu ao Cristianismo."
"Depois disso, então, eu decidi estudar a Bíblia e comecei a frequentar uma casa de retiros chamada Divine Retreat Center, na Índia. Enquanto eu fazia meus estudos bíblicos, houve muitos pontos da Bíblia que me tocaram. No primeiro dia, o padre leu o Evangelho de S. João, capítulo I, versículo 1 seguintes: 'No princípio, era a Palavra, e a Palavra estava com Deus, e a Palavra era Deus, e a Palavra se fez carne.' O meu Corão dizia que Jesus era a Palavra de Deus, e agora a Bíblia também. Eu comecei a achar os dois livros muito parecidos e fiquei muito feliz em saber que eu precisava do Corão e da Bíblia, de ambos. Eu estava desse jeito: um dia me tornava cristão, no outro, muçulmano..."
"Até que eu ouvi mais uma palavra: João, I, 12, uma palavra que eu acolhi com muita docilidade. Está escrito na Bíblia que, àqueles que aceitam Jesus, Ele dá-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus. Sabe, em todos os versos do Corão, Alá chama os seres humanos de escravos, e Alá é senhor. Mas o senhor não pode amar o seu escravo, nem o escravo amar o seu senhor, e eu não gosto de ser chamado por alguém de escravo. Mas, quando ouvi aquele versículo, eu imediatamente falei: 'Eu preciso de Jesus, porque eu quero ser um filho de Deus.' Foi então que eu comecei a chamar a Deus de pai porque, até então, não sabia que podia chamá-Lo de pai, assim como fez Jesus, ensinando a oração do Pai-Nosso. Se você me perguntar, eu não consigo expressar a minha alegria toda vez em que chamo a Deus de pai. Sempre que eu penso que o Criador do universo é meu pai, eu sinto uma alegria inexprimível, uma experiência que não consigo explicar. Foi ali que eu decidi aceitar Jesus."

"O meu pai só estava obedecendo ao Corão"

"Nessa época, eu estava fora de casa. Os meus pais pensavam que eu estava em minha mesquita, e o pessoal da mesquita achava que eu estava em minha casa. Quando eles se comunicaram, perceberam que eu não estava em nenhum dos dois lugares. Então, eles procuraram por mim em todo lugar, publicaram um aviso em vários jornais e na televisão, até finalmente me encontrarem em uma casa de retiros católica."
"Quando meu pai chegou lá, foi terrível. Ele me espancou muito, até eu sangrar pelo nariz e ficar inconsciente. Daí, ele me levou para casa. Eu não sei como, porque estava inconsciente, mas de alguma forma ele me levou. Quando voltei a mim, eu estava em uma sala pequena, sem roupas, completamente nu, com os meus braços e pernas acorrentados . Eu não podia nem mesmo falar porque havia pó de pimenta em minha boca, em meu nariz e em meus olhos, e, nonde quer que houvesse uma ferida em minha pele, eles também colocavam alguma pimenta, para me queimar. Eles fizeram tudo isso porque está escrito no Corão, em mais de 18 passagens, para lutar contra os infiéis – e está escrito, em alguns lugares, para matar quem rejeita o Islã. O meu pai só estava obedecendo à lei do Corão."
"Durante todos aqueles dias, eles não me deram nada para comer ou beber. Desidratado, eu tentava lamber um pouco do sangue que escorria, para molhar a minha garganta. Veio então o meu irmão e passou urina em minha boca. (Eles dizem que esse é o castigo que merece quem acredita em Cristo.) Depois de muitos dias sem água nem comida, meu estômago começou a se retorcer e meu corpo começou a ficar fraco. Eu era como um recém-nascido. Cheguei a perder até o meu poder de memória. Não conseguia nem mesmo pensar, por não ter o que comer ou beber. Parecia um cadáver."
"Não sei quantos dias passei naquela sala – acho que mais de 20 –, até que, um dia, meu pai entrou na sala e tirou minha corrente para saber se havia vida no meu corpo. Eu estava desacordado, mas ele apertou tão forte a minha garganta que eu não conseguia mais respirar. Quando abri os meus olhos, então, vi que ele tinha um facão na sua mão. Ele disse: 'Este é o seu último momento. Sem misericórdia. Se você precisa de Alá, eu permito que você viva. Se precisa de Jesus, eu o mato.' Eu conheço bem o meu pai. Ele realmente ia me matar."
"Quando percebi que aquele era o meu último momento de vida, pensei: 'Bom, Jesus morreu, mas Ele voltou; se eu morrer em Jesus, também devo conseguir a minha vida de volta.' Pensei comigo que seria um tipo de alegria morrer em Jesus. Decidi-me, então, e, de repente, uma luz caiu em minha testa, como um luar, e eu senti uma espécie de choque elétrico, uma descarga que atravessava as minhas veias. Eu estava energizado. De algum lugar, a energia passava pelo meu corpo e eu não conseguia me controlar, havia muita energia nos meus ossos."
"Então, eu empurrei as mãos de meu pai para baixo e gritei: 'JESUS!' Quando eu gritei, o meu pai caiu com a faca no chão. Assim que ele caiu, apareceu uma grande ferida em seu peito, que começou a sangrar. Uma espécie de espuma corria da sua boca, e ele gritava. Todos estavam chocados – meus irmãos, minha mãe e minhas irmãs. Ninguém sabia o que estava acontecendo. Eles pensaram que meu pai já estivesse morto. Pegaram-no, então, e correram com ele para o hospital."
"Ao sair, porém, eles esqueceram de trancar a porta do lado de fora. Eu, mesmo depois de tantos dias sem comer, como um recém-nascido, tinha uma energia que não sou capaz de explicar. Vesti, então, as roupas do meu pai, saí e corri para o ponto de táxi a fim de fugir para Potta. No caminho, o taxista, que era cristão e conhecia a minha história, comprou-me alguns doces e um suco. Ainda hoje, eu tenho contato com o taxista e ele é um bom amigo meu."
"Naquele dia, eu entendi que meu Jesus está vivo, mesmo agora. Quando clamei por Ele em minha necessidade, Ele salvou-me. Isso quer dizer que Ele está presente aqui, mesmo enquanto eu falo com você. Em todo lugar, eu sei que Ele está presente, porque, agora, 18 anos depois da minha conversão, eu jamais pensei que os muçulmanos me permitiriam viver por tanto tempo. Eu cheguei a pregar no Oriente Médio, os árabes vieram, mas nada aconteceu. Isso significa que meu Jesus está vivo e está me protegendo."
"Mesmo depois dessa experiência, já tentaram me matar muitas vezes. Na verdade, os meus pais simularam uma cerimônia de funeral para mim. Sabe o que é isso? Eles fizeram uma estátua minha, enterraram em um túmulo e escreveram a data do meu nascimento e o dia do meu falecimento, ou seja, o dia em que eu me fiz cristão, quando recebi o Batismo. Aquela é a data da minha morte para eles, e eles me enterraram. Então, eu tenho o meu próprio túmulo na minha cidade natal."
"Eu sei disso porque um dos meus amigos cristãos, quando passou por lá, tirou uma foto do túmulo e mandou para mim. Depois de tudo o que aconteceu, eu não tenho nenhum contato com minhas irmãs, que eu amo muito, nem com minha mãe... Eu realmente as amo, mas, sem chances. Humanamente falando, não tenho esperanças, mas Deus pode tocá-los um dia, então eu sigo rezando. Mesmo que eles não aceitem o Cristianismo, eu estou sempre dizendo: 'Jesus, por favor, leve-os ao Céu'. Onde quer que eu esteja, eu preciso deles, então essa é a minha oração sempre."

"Jesus está preparando uma grande mansão para mim"

"Nunca tive medo da morte, nem você deveria ter. Medo da morte é, na verdade, bobagem, porque todos os que nasceram deverão morrer um dia. Cem por cento. Com medo ou não, todos têm que morrer. Essa é a única coisa certa que você sabe na terra. Agora, enquanto falo com você, não tenho certeza se isso será transmitido, porque qualquer coisa pode acontecer. Não sei se jantarei hoje à noite, se voltarei para a Índia, se meus filhos farão bons estudos e conseguirão um diploma, não tenho certeza de nada, de nada. A única coisa certa que existe nesta terra é que eu morrerei. Tudo o mais é incerto."
"Então, nunca tema a morte. Esteja certo de que ela virá um dia. O que você pode fazer é pensar. Se você acredita em Maomé e morre, qual será a sua situação? O profeta Maomé morreu, as pessoas o enterraram e, depois, não sabemos para onde ele foi. Se eu morrer nele, não sei para onde irei. Todos os deuses hindus – existem tantos deuses e deusas em meu país! –, todos viveram, criaram história, morreram, as pessoas os enterraram, e não sabemos para onde eles foram. Então, se eu acredito em todos eles, não sei qual é o meu futuro. Mas Cristo, que morreu, voltou. Por isso, eu tenho a esperança de que, se eu morrer em Cristo, eu voltarei. É melhor, portanto, estar certo da morte e morrer em Cristo."
"Jesus diz bem claramente em João, XIV, 2-3: 'Na casa de meu Pai há muitas moradas. Vou preparar um lugar para vós. E depois que eu tiver ido e preparado um lugar para vós, voltarei e vos levarei comigo, a fim de que, onde eu estiver, estejais vós também.' Sabe, eu estou muito feliz por saber que Jesus está preparando uma grande mansão para mim no Céu porque, uma vez que terminada, Ele volta para me buscar. Eu acho que é uma mansão muito grande porque, nos últimos anos, os muçulmanos tentaram e não conseguiram me matar, o que significa que a construção ainda está em andamento e, quando tudo estiver pronto, Ele voltará para me buscar. Só então os muçulmanos poderão me matar. Até lá, ninguém pode."

"Para ter vida eterna, você precisa da Igreja Católica"

"Então, eu não tenho medo da morte, isso é um fato. A única coisa em que penso é: e depois da morte, o que há? Para ter vida eterna, você precisa de Jesus, e não só isso, você precisa da Igreja Católica."
"Digo isso especificamente porque cada religião diz que a barreira entre Deus e o homem é o pecado. No Islã, para o pecado, há a oferta de animais. No hinduísmo, há a reencarnação. Mas só no Cristianismo o próprio Jesus remove o meu pecado e a minha punição e me faz puro para levar-me até o Céu. Jesus é meu Salvador. Ele é perfeito homem, porque sou homem, meu Salvador deve ser um homem; e Ele é perfeito Deus, porque eu preciso da vida eterna, e só Ele pode dar-me."
"É muito simples dizer-lhe por quê. A consequência do pecado é a morte. Assim como, para remover a escuridão, você deve trazer luz, para remover a morte, você deve trazer vida. Mas a vida de quem? No Antigo Testamento, eles davam a vida de um animal, porque acreditavam que a vida estava no sangue, e sangue animal. Os muçulmanos ainda estão fazendo isso. Mas, para remover minha morte, eu preciso ter vida eterna. Ora, de onde posso ter vida eterna? Só de Deus, e isso é dado por Jesus na Cruz."
"Por isso, quando eu participo de Seu corpo e sangue, eu estou participando de Sua vida, tomando parte de Sua vida. É por isso que Jesus me chama de 'irmão', e Jesus e nós, ambos, chamamos Deus de 'pai'. É uma união com Ele, na qual nós obtemos a vida eterna. Para receber isso sempre, você deve ser católico. Porque Jesus disse claramente: 'Se você come o meu corpo e bebe o meu sangue, nunca morrerá e, mesmo se morrer, eu o ressuscitarei' (cf. Jo, VI). Foi assim que eu decidi tornar-me cristão e, especialmente, católico."

Uma palavra à Europa

"Nós somos muito fracos em educar nossos filhos na fé. Somos muito fracos. E essa fraqueza originou-se em nós quando começamos a falar demais de 'liberdade'. Quando começamos a dar muitas liberdades que não são permitidas por Deus – como, por exemplo, 'casamento' gay, aborto e drogas, que são legalizados em todos os países agora –, ninguém tem o direito de questionar ninguém. Nem os pais têm o direito de questionar os filhos. Essa 'liberdade' é um verdadeiro obstáculo para transmitir a fé."
"Além disso, nessa 'liberdade', os pais são incapazes de mandar as crianças às aulas de Catecismo. No Islã, como se trata de uma religião política – eles tentam regular o mundo com a lei da sharía –, acaba-se obrigando as crianças a irem à escola. Desde a infância, eles são treinados em sua fé para serem fanáticos. Eu digo que devemos respeitar o ser humano, devemos dar-lhe total liberdade, mas, ao mesmo tempo, desde a infância, devemos educar as crianças no catolicismo. Se isso for possível, definitivamente a Europa mudará."
"Dois dias atrás, depois de chegar aqui, eu estava rezando pela Europa e perguntei ao Senhor qual era a mensagem que Ele tinha para esse continente, especialmente para a Espanha. A mensagem que eu recebi vinha do livro do Apocalipse, capítulo II, versículos de 2 a 4. Diz o Senhor: 'Sei o quão duro trabalhaste por mim.' A Espanha fez muitos trabalhos em nome de Jesus. 'E sei o quanto sofreste por mim.' Ela também passou por muitos sofrimentos por causa de Jesus. 'Sei como enfrentaste os falsos profetas.' A Espanha lutou contra falsos profetas por muitos anos. E Deus diz: 'Mas, agora, tenho uma queixa contra ti. Perdeste aquele primeiro amor. Perdeste aquele primeiro amor. Retorna àquele amor.' Então, para a Europa, Deus está dizendo apenas uma coisa: 'Retorna a esse amor', como os seus antepassados, 'retorna'."
"Todos nós rezaremos e trabalharemos por isso. Essa é a minha ambição, é a razão pela qual estou aqui. Não era meu desejo estar aqui, mas Deus mandou-me à Europa. Há muitos profetas que estão vindo para a Europa. E há tantos profetas e santos na Europa que passam despercebidos por nós. Com todos nós rezando e trabalhando juntos, no fim, as mudanças acontecerão."

terça-feira, 1 de março de 2016

A FUGA DO PAPA DO VATICANO




 
Voo do Papacóptero sobre Roma e o Vaticano
(A fuga do Papa do Vaticano)



"Dois Papas fugirão do Vaticano quando a revolução chegar às portas de Roma: um fugirá pelo ar para Colônia, na Alemanha, o outro caminhará por Roma sobre os cadáveres de seus sacerdotes. Ambos serão mortos. Um será logo assassinado em Roma, o outro será morto no exílio, alguns meses depois. Os dois terão uma morte cruel!




Novas Profecias convergem com antigas Profecias:

(Excertos extraídos do texto publicado por Foros de la Virgen: forosdelavirgen.org/, e do texto de Daniel Muñoz - Jornalista e pesquisador do: espacioalternativo.tv).

O Papa Francisco será forçado à fugir de Roma?

-(Atualização, comentários, notas, adendos e profecias afins, por O Profeta Mundial).

Profecias católicas e a expansão do Islã:

Certamente poucos cristãos têm dúvidas de que hoje existem três fontes que podem causar a fuga do Papa de Roma, como várias visões católicas sustentaram: dissidência e conspirações internas na Igreja, o secularismo ocidental agressivo, e uma invasão muçulmana como aconteceu com a queda de Constantinopla, em 1453.

Em Nowra, na Austrália, entre 1984 e 1986, através de uma psíquica-sensitiva, cujo apelido ou pseudônimo era Piedrecita, a Virgem Maria fez revelações surpreendentes acerca do Papa, da Igreja de Roma e dos Eventos Globais que configurarão o Fim dos Tempos:

Em 1984, a Virgem lhe disse: 

...A Santa Madre Igreja vai para a crucificação final para nascer de novo, com a vinda do Divino Salvador. Para sua edificação, Eu vou dizer isto:

O Santo Padre será ferido em um ataque (no Vaticano).

Haverá uma Grande Revolução em todos os lugares em Roma, e as forças do mal entrarão no Vaticano e na Igreja de São Pedro.

O Papa fugirá de Roma

O Grande Aviso ocorrerá.

Começará a Terceira Guerra Mundial.

O Grande Milagre ocorrerá.

Os eventos após o Grande milagre serão drásticos quanto ao reinado absoluto e total do Anticristo, que virá para o reino de seu (falso) profeta, o Antipapa.

A invasão das nações está próxima.

A marca da besta ocorrerá durante esses eventos.

A dor da ferida, o último ato da Terceira Guerra Mundial, as bombas e os mísseis atômicos, serão seguidos pela esfera da redenção.

Estes serão os três dias de escuridão. A humanidade pode atenuar todos estes sofrimentos.

Após os três dias de escuridão, Jesus Cristo, o Senhor, virá em Grande Triunfo com Sua Segunda Vinda, e todo o mal, juntamente com os criminosos, perecerá.

Em Duren, na Alemanha, de maio de 1949 à Dezembro de 1950, houveram diversas aparições de Nossa Senhora à Sra. Gertrude Fink, onde A Virgem Mãe de Deus, transmitiu uma mensagem profética aterradora sobre o início de uma guerra relâmpago sobre a Europa: 

"Ela (Nossa Senhora - disse Gertrude Fink) advertiu que a Terra será aberta (por um terremoto global devastador) e engolirá países inteiros. 

Três colunas de fogo (três mísseis de longo alcance) irão avançar da Rússia, (uma) para Roma e o Vaticano, e duas para a Alemanha. Isso vai ocorrer após a invasão da Tchecoeslováquia (não após a invasão da Tchecoeslováquia, que se deu em 1968 pela antiga União Soviética, mas, logo após a futura invasão da atual República Tcheca pela Rússia, na qual a cidade de Praga será destruída por uma bomba nuclear). Os bons padres e bispos abandonarão seu ministério. Um exército Mariano irá contra o Oriente".

O Vôo de um Papa de Roma:

Neste artigo, vamos explorar a possibilidade de que o Islã vai acabar por ser a força decisiva para fazer cumprir a profecia de um Papa fugindo Roma.

Profecias sobre a execução do Papa de Roma:

Há muitas profecias católicas de personagens principais, como papas e santos - sobre um Papa fugindo de Roma; Alguns atribuem o surgimento do anticristo na Igreja, outros do comunismo, mas, a maioria não emitem com a causa, e só mencionam o fato do exílio do Papa.

A PROFECIA DO PAPA PIO (SÃO PIO X) - 
Vaticano - 1909: 

Em 1909, o Papa desmaiou em uma audiência, e ao despertar da perda de consciência, disse aos que o auxiliavam: Chegará um dia em que o Papa abandonará Roma e será transportado, enfermo, por cima dos cadáveres de seus cardeais".

"Eu vi um dos meus sucessores, passando por cima dos corpos de seus irmãos. Ele irá se refugiar em alguns lugares disfarçado. Após um breve retiro [exílio], ele terá uma morte cruel. A presente maldade do mundo é só o começo das dores que deverão ocorrer antes do fim do mundo".

"Eu tive uma visão terrível: eu não sei se sou eu ou um dos que vão ser meus sucessores, mas, eu vi um Papa fugindo de Roma, passando entre os corpos de seus irmãos. Refugiou-se em algum lugar incógnito por um curto período de tempo e depois teve uma morte cruel".

Uma análise mais apurada sobre as visões do Papa Pio X, revela-nos uma interpretação mais acertada acerca dessa tão reveladora profecia:

O que o Papa Pio X teve foi uma aterrorizante visão, onde ele viu um sucessor seu com o mesmo nome (Giuseppe ou José) voando sobre Roma, acima dos corpos de padres mortos e perto do fim dos tempos. 

Em sua Visão Pio X diz:

"O que vi foi aterrorizante!, Será ele único, ou será um sucessor?, O que é certo é que o Papa deixará Roma e, deixando o Vaticano, deverá passar sobre os cadáveres de seus padres!, Não digam nada disso para ninguém enquanto eu estiver vivo".

Numa segunda visão, durante uma audiência com a ordem Franciscana em 1909, o Papa Pio X pareceu ter entrado em transe. Depois de alguns momentos, ele abriu seus olhos e se levantou anunciando:

"Vi um de meus sucessores, de mesmo nome (Giuseppe ou José), que voava sobre os cadáveres de seus irmãos. Ele se refugiará em algum lugar secreto; mas, depois de um breve descanso, sofrerá uma morte cruel. O respeito a Deus desapareceu dos corações humanos. Eles até mesmo desejam apagar a memória de Deus. Essa perversidade nada mais é do que o início dos últimos dias do mundo."

O Papa da visão de Pio X, é sem sombra de dúvidas, o Papa Emérito Bento XVI, que renunciou em 28 de fevereiro de 2013 e, desde maio de 2013, passou a viver dentro dos muros do Vaticano, recluso (enclausurado) na residência chamada Santa Marta, onde também optou por viver o atual Papa Francisco. 

O que identifica o Papa Bento XVI como um dos sucessores de mesmo nome, segundo o que viu o Papa Pio X (cujo nome de batismo era Giuseppe: José em italiano), é que o Papa Bento XVI, também chama-se José (Joseph em alemão), ou seja, o Papa Bento XVI tem o mesmo nome próprio de batismo do Papa Pio X.
Um outro detalhe importante da visão de Pio X, é quando ele diz que viu esse Papa voando sobre os cadáveres de seus irmãos, o que, obviamente quer dizer que o Papa Pio X viu o Papa Emérito Bento XVI (Joseph Ratzinger) literalmente voando por sobre o Vaticano de Helicóptero (no Papacóptero branco), onde lá de cima, avistou os cadáveres de seus irmãos padres, bispos e cardeais mortos em Roma, no Vaticano e na praça de São Pedro em Roma.

A parte final dessa terrível visão de Pio X sobre o Papa Bento XVI, é o trágico destino que o espera depois da sua fuga do Vaticano: uma Morte cruel.

-(Nota: É de se supor também, que o mesmo nome de um dos futuros sucessores do Papa Pio X, possa ser o nome papal "Pio". Depois de Pio X, houveram mais dois papas chamados Pio, Pio XI e Pio XII, mas, nenhum deles se aplicou à visão profética de Pio X. Se, porventura, houvesse mais um Papa que adotasse o nome papal de Pio, ele teria de ser Pio XIII, e se esse for o caso, também, ele teria que, de alguma forma, se chamar José. Mas, por enquanto, essa estarrecedora visão de Pio X, parece diz respeito ao Papa Emérito Bento XVI, que ainda está vivo e vivendo no Vaticano). 

O Venerável Bartholomew Holzhauser previu que: 

"Deus vai permitir um grande mal contra a Sua Igreja: vêm de repente e inesperadamente, estourando enquanto bispos e padres estão dormindo. Eles vão entrar na Itália e devastar Roma, igrejas serão queimadas, e destruirão tudo".

As Revelações de Madre Elena Aiello - Itália:

A Revelação recebida pela Madre Elena Aiello, é de que: 

"...A Itália vai ser abalada por uma grande revolução (...) A Rússia vai prevalecer sobre as nações, e especialmente na Itália, e levantará a bandeira vermelha (comunista) sobre a cúpula de São Pedro".

Elena Leonardi, filha espiritual do Padre Pio, disse que: 

"O Vaticano vai ser invadido pelos revolucionários comunistas. Eles trairão o Papa. A Itália vai sofrer uma grande revolta e será purificada por uma grande revolução. A Rússia marchará sobre Roma e o Papa vai correr um grave risco".

O Vidente Enzo Alocci viu que:

"O Papa desaparecerá temporáriamente, e isso vai acontecer quando houver uma revolução na Itália".

A Profecia de Anna Maria Taigi: 

"A religião será perseguida e os padres massacrados. O Santo Padre será forçado à sair de Roma".

A Visão da Mística Maria Steiner: 

"A Santa Igreja será perseguida, Roma ficará sem pastor (sem Papa)".

As Revelações de Nossa Senhora do Carmo de Garabandal, na Espanha, 1961-1965, são de que: 

"...O Papa não vai estar em Roma (no momento de um Grande Evento Sobrenatural Mundial - O Aviso-Milagre), pois, ele será perseguido e terá que se esconder".

A Profecia de Nossa Senhora do Carmo de Garabandal, sobre os últimos Papas:

Em San Sebastian de Garabandal, na Espanha, a Virgem Maria disse a Conchita Gonzalez, em 1962, que:

"Depois do Papa João XXIII, viriam apenas mais três Papas".

As aparições de San Sebastian de Garabandal, na Espanha, foram precedidas, à partir de 1961, pelo anúncio do anjo Miguel à quatro meninas videntes da pequena vila espanhola das montanhas cantábricas, num local chamado Sierra de La Peña Sagra, na província espanhola autônoma de Santander: 

Conchita (Concepción) González, Mari Cruz González, Jacinta González e Mari Loli Mazon González, todas tinha idade entre 11 e 12 anos. Dois anos após a primeira aparição; em 3 de junho de 1963; enquanto os sinos tocavam em Garabandal, Conchita, que estava na cozinha com sua mãe, disse: 

"Os sinos estão tocando para os mortos. Certamente pelo Papa, porque à partir de agora não haverá mais do que três papas". (Na verdade, o então, Papa João XXIII tinha acabado de morrer naquele 3 de junho de 1963).

A Mãe de Conchita, então, perguntou se depois disso viria o fim do mundo, e a menina disse que, não o fim do mundo, mas, o fim dos tempos. 

"Para mim, foi a Virgem, que me disse: "Após este papa, (se referindo ao Papa João XXIII, morto em 3 de junho de 1963) apenas virão mais três, e então, virá o fim dos tempos". 

-(Nota: A Profecia dos Papas da Virgem de Garabandal foi dada em 20 de Dezembro de 1962, quando numa aparição à Conchita González, a Virgem do Carmo disse-lhe o seguinte: “Após o Papa João XXIII, apenas virão mais três Papas e depois... fim dos tempos. Não, quatro, porque um deles não é tido em conta na realidade, a Virgem Maria disse-me“. Disse também que:
“Depois do último Papa, virá o fim dos tempos, que não significa o fim do Mundo. Isto voltaria a ser lembrado em 3 de Junho de 1963, mesmo dia em que o Papa João XXIII morreu - Ler mais em: http://www.mensagemdegarabandal.com/news/o-que-nossa-senhora-falou-em-garabandal-sobre-a-profecia-dos-papas/).

-O que foi certo, é que depois da morte do Papa João XXIII, são já cinco papas e não três, à saber: Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II, Bento XVI e Francisco.

Mas, se foram cinco e não três os Papas depois de João XXIII, o que a Virgem de Garabandal quis, na verdade, dizer com isso?

No diário de Conchita Gonzalez, na verdade, está assim a profecia: 

Para mim, foi a Virgem, que me disse: 

"Após este papa, (se referindo ao Papa João XXIII, em 1963) apenas virão mais três, e então, virá o fim dos tempos. Não quatro, (mas, sim três), porque um deles (que seria o Papa João Paulo I) não conta na realidade, a Virgem Maria disse-me" (Conchita Gonzalez).

-A história nos mostra que o Papa João Paulo I nem chegou a esquentar a cadeira de São Pedro, visto que morreu 33 dias após ser eleito, no Papado mais breve de todos, e que muito embora ele seja sim, considerado como Papa, segundo a Virgem de Garabandal, ele não deve ser contado como tal, pois, que não teve sequer tempo de realizar nenhuma obra em seu breve papado.

Assim sendo, a profecia de Garabandal, revela-nos que, na verdade, apenas mais três Papas viriam (à exceção do Papa João Paulo I) após a morte do Papa João XXIII, antes de entrarmos no período chamado de o "Fim dos Tempos". Tais Papas são, à saber: O Papa Paulo VI (1963-1978), o Papa João Paulo II (1978-2005) e por último, o Papa Bento XVI (2005-2013), e que, depois deles viria, não o "Fim do Mundo", mas, sim "O Fim dos Tempos". 

Portanto, o Papa Francisco, à contar desde a morte do Papa João XXIII, que deveria ser o quinto (mas, na verdade, é o quarto, porque o Papa João Paulo I, cujo Papado foi muito curto, não é contado para efeito da profecia), porém, o atual Papa Francisco, também não deve ser contado nem como o quarto nem como o quinto na profecia de Garabandal, pelo fato de que o terceiro e último Papa da profecia foi ou é o Papa Bento 16, que resignou e ainda vive no Vaticano como Papa Emérito. Assim sendo, o Papa Francisco é já o Papa do Fim dos Tempos, que estaremos à adentrar à qualquer momento, quando alguns sinais indicativos dos tempos forem visíveis para todo o mundo, à saber: A viagem do Papa Francisco à Moscou, na Rússia. A Revolução na Itália, às portas de Roma e do Vaticano, quando o Papa Francisco retornar da Rússia. O ataque ao Vaticano e a fuga do Papa Francisco e do Papa Bento 16 de Roma, entre outros grandes eventos que deverão acontecer antes e depois do Aviso e do Milagre de Deus ao mundo.

O Padre italiano Stefano Gobbi, recebeu da Santíssima Virgem, a seguinte revelação: 

"As forças maçônicas entraram na Igreja de maneira escondida e oculta, e estabeleceram a sua séde no mesmo lugar onde vive e trabalha o Vigário de Meu Filho Jesus (O Papa). Está se realizando como está contido na terceira parte da Minha Mensagem(na Terceira parte da Mensagem de Fátima), que ainda não foi revelada, mas, já voltou com a patente para os mesmos eventos que estamos vivendo".

São Francisco de Assis, profetizou que: 

"Não haverá um Papa eleito canônicamente(*) e isso) irá causar um grande Cisma (dois papas eleitos ao mesmo tempo, na Igreja).

(*)Canônicamente: Segundo os cânones(*) ou os preceitos da Igreja. 

(*)Cânone: Um cânone ou cânon é um termo que deriva da palavra grega kanon, que designa uma vara utilizada como instrumento de medida, e que normalmente se caracteriza como um conjunto de regras (ou, frequentemente, como um conjunto de modelos) sobre um determinado assunto. Está em geral ligado ao mundo das artes e da arquitetura, mas, igualmente das religiões, nomeadamente da Igreja Católica. A canonização é a sistematização deste conjunto de modelos). 

Em La Salette, na França, a Santíssima Virgem revelou explícitamente à Mélanie Calvat e Maximin Giraud, em 1846: 

"Roma perderá a fé(*) e tornar-se-á a Séde do Anticristo".

(*)Perda da Fé: Apostasia).

Dom Bosco ou São João Bosco, advertiu, o Papa Pio IX no século XIX, do dia em que a luz brilhante vai brilhar no céu durante uma batalha:

"Naquele momento, o Papa e o Vaticano abandonarão seus servidores através uma praça (a praça se São Pedro, no Vaticano, em Roma) coberta de mortos e feridos. O país inteiro (a Itália) vai sofrer uma grande perda de população, e a terra vai tremer como se devastada por um furacão e uma forte queda de granizo. Por duzentos amanheceres (por 200 dias), o Papa e sua comitiva vão passear em terras estrangeiras". 

A Profecia de Michel de Notre Dame (Miguel de Nossa Senhora, ou Nostradamus) - França, 1555:

Nostradamus disse que o "último papa" seria "negro" (um Antipapa - "negro", não no sentido da cor ou da raça negra, mas, sim do lado negro ou do Mal) e que ele viria no fim dos tempos. 

A visão que veio para Nostradamus, fala de um homem com uma grande quantidade de poder no século XXI. Para Nostradamus, depois da morte do Papa João Paulo II, apenas mais um papa poderia ganhar tanto poder. 

A Profecia do Bispo irlandês São Malaquias, refere-se ao Papa atual, como sendo o último de uma vasta lista profética de 112 motes papais, compostos de dois nomes para cada papa, escritos em latim. 

O bispo Malaquias diz que esse 112º papa (o Papa Francisco), é o último papa de Deus verdadeiro, à quem ele chamou de "Petrus Romanus" (Pedro Romano, que tem haver com o verdadeiro nome e nacionalidade de São Francisco de Assis, de quem o Cardeal argentino, Jorge Mário Bergoglio, emprestou o nome papal de Francisco), que terá de apascentar as suas ovelhas em meio à muitas tribulações, e enfrentar o Anticristo (o próprio Demônio) dentro da Igreja, depois do que, Roma, a cidade das sete colinas, será destruída e o tremendo Juiz (Deus) julgará o povo, pois, então, terá chegado o Fim dos Tempos. 

O Padre Gabriele Amorth, ex-Exorcista Oficial do Vaticano, afirmou em 2010, que: 

"...O diabo trabalha dentro do Vaticano".

Escândalos de abuso sexual na Igreja Católica Romana, são a prova de que "o diabo está em ação dentro do Vaticano", segundo o exorcista chefe da Santa Sé. O Padre Gabriele Amorth, de 85 anos, que foi exorcista chefe do Vaticano por 25 anos, diz que lidou com 70.000 casos de possessão demoníaca, e que as consequências da infiltração satânica, inclui lutas pelo poder no Vaticano, bem como "cardeais que não acreditam em Jesus, e bispos que estão ligados ao Demônio".

Ele acrescentou que:" Quando se fala da "fumaça de Satanás" [na frase cunhada pelo Papa Paulo VI, em 1972] nos recintos sagrados, é tudo verdade - incluindo as mais recentes histórias de violência e pedofilia".

Os recentes escândalos envolvendo a Igreja Católica, e até mesmo o ataque ao Papa Bento XVI numa noite de Natal, ganharam uma explicação do exorcista-chefe do Vaticano, que afirmou: 

"O demônio está instalado no coração da Igreja", concluiu o padre Gabriele Amorth, exorcista à 25 anos.  

Para o religioso, há sinais de que o Anticristo está vencendo a batalha contra a Santa Sé. De acordo com o padre Amorth, as evidências são irrefutáveis. 

"O demônio mora no Vaticano e você pode ver as consequências disso", disse o padre, de 85 anos. "Ele pode se esconder, ou falar diversas línguas, ou até aparecer para ser solidário. Às vezes ele ri de mim. Mas, sou um homem feliz com o meu trabalho".

A tentativa de assassinato do Papa João Paulo II em 13 de maio de 1981, e as recentes revelações de violência e pedofilia cometidas por sacerdotes que trabalham na educação de crianças, também são obras do demônio que se instalou na Igreja, segundo o padre italiano Gabriele Amorth. 

Durante uma entrevista à uma rádio em 2006, o padre, que serviu o exército italiano durante a II Guerra Mundial, disse que os nazistas estavam possuídos e eram uma prova de que o demônio existe.

Apesar de existir uma certa "resistência e confusão" a respeito do exorcismo entre os católicos, o padre Amorth garantiu ao jornal La Republica, na época (em 2010), que o Papa Bento XVI não tinha dúvidas da eficiência desta técnica. "Sua Santidade acredita de todo o coração na prática do exorcismo. Ele tem encorajado e parabenizado nosso trabalho", afirmou o padre. 

Ao exemplificar como são feitos os exorcismos, o italiano disse que o filme O Exorcista (de 1973) se aproxima muito da realidade, acrescentando que quem está possuído pelo Demônio, profere blasfêmias, vomita cacos de vidro e pedaços de ferro.

O Apóstolo Paulo, em 2 Tessalonicenses capítulo 2:12, afirmou que: 

O Anticristo, o homem do pecado, o filho da perdição, irá se manifestar, precisamente quando a Apostasia (a falta de Fé) se apossar da Igreja e dos fiéis no mundo todo, quando os Cristãos, acreditando que a Vinda de Cristo está perto, e com a demora no cumprimento da Profecia da Parusia, apostatarem (perderem a fé) dessa (ou nessa) crença, e quando o único (que é o Papa) que ainda resiste e que detém a manifestação de O Anticristo no mundo, for tirado do nosso meio. 

Assim diz Paulo aos Cristãos desse tempo:   

"Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com Ele; Que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto.

Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição; O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no Templo de Deus, querendo parecer Deus.

Não vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco?

E agora vós sabeis o que o detém (ou seja, a apostasia ou a falta de fé da Igreja e dos Cristãos do mundo todo), para que a seu próprio tempo seja manifestado. Porque já o mistério da injustiça opera; e somente há um que agora resiste (o Papa) até que do meio seja tirado;

E, então, será revelado o iníquo, à quem o Senhor desfará pelo assopro da Sua boca, e aniquilará pelo esplendor da Sua vinda; À esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira; E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniquidade".

O Cardeal Karol Wojtyla (que um ano depois, em 1978, seria eleito Papa João Paulo II), foi muito claro quando afirmou, antes, no Congresso Eucarístico, na Pensilvânia, em 1977: 

"Nós enfrentamos o maior confronto histórico que humanidade já teve. Estamos na disputa final entre a Igreja e a anti-Igreja, o Evangelho e o anti-Evangelho. Esse confronto se situa dentro dos planos da Divina Providência e é um desafio que toda a Igreja deve aceitar".

Como se pode ver, alguns consideram que isso vai acontecer como resultado de uma conspiração interna na Igreja, que levará ao surgimento do antipapa, como um anticristo, ao Papado, quando portanto, coexistirem dois papas no Vaticano. Outros acreditam que o comunismo tomará a Europa e erradicará o Papado. Mas, o que é comum à todos, é que o Papa certamente fugirá de Roma.

Agora está emergindo a hipótese alternativa, de que isso se dará com a invasão do Islã à Europa, o que fatalmente, faria com que o Papa fuja de Roma.

Certamente poucos cristãos têm dúvidas de que agora existem três fontes que podem causar esses acontecimentos: a dissidência interna na Igreja e as conspirações, o secularismo ocidental agressivo, e uma invasão muçulmana, como aconteceu com a queda de Constantinopla, em 1453.

Há um precedente histórico:

Há dois fatos que fecham com isso. Há papas que foram forçados a deixar Roma no passado. Por outro lado, muitos líderes islâmicos se manifestaram para conquistar Roma. A mais recente ameaça é o Estado Islâmico, que depois de ter se apossado de boa parte do território do Iraque e da Síria, agora avança sobre a Líbia, que está às portas da Europa.

No ano de 846, por exemplo, o Papa Leão IV teve que fugir de Roma, brevemente, quando ele foi atacado por uma frota árabe. No ano seguinte, ele ordenou a construção de um grande muro em torno do Vaticano para proteger os saqueadores muçulmanos.

Também na década de 1940, Roma foi ocupada por um exército estrangeiro, a Alemanha, durante a segunda guerra mundial. Embora os nazistas tenham deixado o Papa ficar no Vaticano, não havia garantia de que esta situação teria continuado se as potências do Eixo tivessem emergido vitoriosas da Segunda Guerra Mundial.

Mas, agora há uma situação emergente, e este é um bom exemplo do que pode estar acontecendo. 

Um manifestante segura um cartaz durante um protesto contra a islãmofobia em frente ao Palácio da Justiça de Bruxelas, na Bélgica, em 26 de outubro de 2014, onde se lê: "Eu sou muçulmano, não entre em pânico".
Não tenha mêdo de muçulmanos

O Papa poderia ter abrigo onde?

Se Roma cair para o Islã, o Papa - aquele que estiver no Papado naquele momento - poderá optar por ficar em Roma e sofrer o quase certo martírio, ou então, fugir e se exilar noutro país.

Se o Papa escolher o exílio, provavelmente teria de fugir para a América, uma vez que é improvável, se a fuga do Papa acontecer, que haja qualquer refúgio seguro na Europa naqueles tempos.

A Itália é agora um lugar mais seguro do que outros países europeus , porque muito embora, muitos imigrantes muçulmanos, no norte da África, fogem para Itália, lá não é a sua primeira escolha de residência. Outros países europeus oferecem incentivos mais generosos, como a Inglaterra, a Bélgica, a França, a Suécia e a Alemanha, que estão propensas a cair em primeiro lugar.

Será que o Vaticano fez planos de contingência, como tem o governo dos EUA?

Com um ataque nuclear maciço aos US, esse plano de contingência, foi posto em ação, quando os serviços eram para proteger o presidente Bush, após o ataque às Torres Gêmeas, e por algumas horas o paradeiro do presidente não foi conhecido; Algumas fontes afirmam que ele ficou no ar por várias horas no Air Force One.

A Dinamarca:

Nenhuma entrada do exército muçulmano, parece provável na Dinamarca.

Como as coisas estão, não necessariamente, a "queda", seria pela entrada de exércitos muçulmanos. Isso provavelmente não será necessário. Porque já estamos testemunhando um processo lento e constante da apresentação, que terá sua fase de aceleração, como qualquer processo.

Em algumas partes da Europa as coisas parecem estar em fase de aceleração rápida. 

Em Birmingham, na Inglaterra, agora tem mais muçulmanos do que as miúdas crianças cristãs. "Isso significa", como Mark Steyn, notou, que, na ausência de qualquer dinâmica de compensação, o seu futuro é muçulmano".

E se você for suficientemente rude para chamar a atenção para o que está acontecendo com os bairros europeus liberados para a Sharia(*), relativo aos crimes sexuais e à violência, onde uma vez aprovada essa lei, o cidadão europeu que atacar ou discriminar um muçulmano, estará cometendo um crime de ódio, sendo rotulado como islãmofóbico, e, paradoxalmente, você será punido pelas leis ocidentais.

(*)Sharia: Na linguagem árabe, Sharia (Lei ou "Legislação"), significa o código moral e a lei religiosa de uma religião profética. O termo "Sharia" tem sido amplamente identificado com o Islã no uso do termo inglês. Sharia (a lei islâmica) trata de vários temas, incluindo: crime, política e economia, assim como assuntos pessoais, tais como, a relação sexual, a higiene, a dieta, a oração, a etiqueta e todos os dias de jejum).

Não há necessidade de consultar uma bola de cristal para ver o futuro de Birmingham, a segunda maior cidade da Inglaterra.

Os casamentos e o assédio sexual de meninas muçulmanas, forçadas na subclasse ocidental, já é uma realidade na Inglaterra. E assim é a resposta aos olhos das autoridades ocidentais.

Foi revelado recentemente, que os oficiais da cidade, durante um período de dezesseis anos, haviam assediado sexualmente 1.400 meninas na cidade de Rotherdam, além de terem sido estupradas e comercializadas essas meninas por gangues muçulmanas, e todos com o pleno conhecimento da polícia, e das agências de proteção à criança. Nenhuma autoridade fez nada sobre isso porque ninguém queria ser acusado de "cometer um crime de ódio", apontando para os muçulmanos. 

Mas, isso mostra o problema em toda a sua gravidade, que, mesmo tendo sido revelados estes crimes, as coisas não foram resolvidas, porque este é o novo normal; e não há ninguém que se atreva a denunciar os muçulmanos, que não seja descrito como islãmofóbico.

O caso mais sintomático, que já tem uma década, e que os ocidentais têm esquecido, é o do jornalista italiano Oriana Fallaci, um ateu, que em 2005 escolheu o exílio voluntário na Europa, em vez de enfrentar pena de prisão pelo crime de insultar o Islã. Ele escreveu:

A Europa torna-se cada vez mais uma província do Islã, uma colônia do Islã. E a Itália é um posto avançado daquela província, um reduto da colônia que se estabeleceu lá. Em cada uma de nossas cidades está a segunda cidade: a cidade muçulmana, uma cidade gerida pelo Corão. A fase do expansionismo islâmico.

O Governo está pronto para proibir o Grupo Islamita Wootton Bassett, que planejou em março, na Europa, em processo de adaptação à descoberta.

O caso da ocultação de violações mostra que pessoas maduras em posições de responsabilidade social, podem aprender a adaptar-se aos crimes mais hediondos, se a pressão multicultural é forte o suficiente. Esta capacidade de ajustar-se, por exemplo, ao choque de escravidão sexual, tem sido possível por um processo de amaciamento das elites multiculturais, que levou décadas.

A religião multicultural antes dos europeus caírem - embora cada vez menos pelos setores populares - fornece justificativa para o comportamento do "outro", e justificativas para desviar o olhar quando o outro faz o que é um crime aplicável na legislação.

Anos desse condicionamento, levou a aceitar a novilíngua para aceitar que tudo "isso não tem nada haver com o Islã", o que ecoa até o Vaticano.

Alguns pensam que a aceleração súbita da agressão islâmica, vai chamar a atenção para trazer os europeus para os seus sentidos, e há indícios de que, o surgimento de movimentos populares reajam contra isso. Mas, também considera-se que as sociedades europeias já podem ter ido além do ponto de não-retorno.

Os europeus têm interiorizado tanto o jogo do multiculturalismo e da correção política, que as regras do bom senso da decência, são tão estranhas para eles, quanto eram uma vez as burcas(*) nas cidades europeias.

(*)Burca: A burca é uma veste feminina que cobre todo o corpo, até o rosto e os olhos, porém, nos olhos há uma rede para se poder enxergar. É usada, principalmente pelas mulheres do Afeganistão e do Paquistão, em áreas próximas à fronteira com o Afeganistão. Ela é um símbolo do grupo Talibã. O seu uso deve-se ao fato de muitos muçulmanos acreditarem que o livro sagrado islâmico, o Corão ou Al Corão, e outras fontes de estudos, como o Hádice e a Suna, exigem que homens e mulheres se vistam e se comportem modestamente em público. No entanto, esta exigência tem sido interpretada de diversas maneiras pelos estudiosos islâmicos e comunidades muçulmanas; A burca não é especificamente mencionada no Corão e nem no Hádice).

As Profecias

"Os Tempos correm velozmente"

A idéia de que o Papa será forçado à fugir de Roma, pode parecer inimaginável para muitos hoje. Além disso, ninguém em sã consciência, jamais pensaria que este Papa atual, Francisco, estará fugindo.

Mas, a história está cheia de eventos inesperados que mudaram seu curso.
Considere, por exemplo, o ataque surpresa do Japão à Pearl Harbor, no Havaí, em 7 de dezembro de 1941 ou os mais ainda surpreendentes ataques à Nova York e ao Pentágono, em 11 de setembro de 2001. Ambos, inesperadamente, abalaram o orgulho norte-americano e mataram mais de 6 mil pessoas.

As grandes mudanças históricas são difíceis de discernir, porque elas vêm misturadas com outras coisas e não são normalmente reconhecidas como tal por aqueles que as sofrem.

Se dermos uma olhada para trás, e somos capazes de fazermos isso sem os antolhos que nos impedem de fazer suposições, que não agradam ou podem irritar os outros, nós poderemos ver que, talvez, a história esteja nos levando de volta à um passado sombrio, quando o Islã governava metade do mundo civilizado e ameaçava o resto do mundo. E há pontos de aceleração neste processo. A revolução iraniana de 1979, os ataques de 9/11 nos EUA, a Primavera Árabe, as guerras civis na Líbia e na Síria, o nascimento do Estado do Califado Islâmico, e outros ataques em ascensão na Europa, etc...

Mas, a pressão de nossas elites de comunicação, da mídia e do governo, politicamente corretas, estão fazendo a maioria dos ocidentais parecerem ou acreditarem serem incapazes de ligar essas coisas que acontecem e de enxergarmos que elas tem um padrão. Ou será que a mídia interpretou corretamente a ascensão dos nazistas?, E também, será houve muita pressão psicológica para demitir o segredo dos seus campos de extermínio?

Os Islâmitas Jihadistas, dizem que muito em breve, se Alláh quiser, Roma será conquistada, assim como Constantinopla foi, assim como profetizado pelo Profeta Maomé.

Por que os ocidentais não dão crédito à essas intenções?

Os sinais estão por toda parte. A quinta coluna(*) já existe na Europa dando muitos pequenos sinais que são cumulativamente significativa: epidemia de estupro muçulmana na Inglaterra e na Suécia, as áreas regidas pela Sharia em Paris, Londres e Bruxelas, a recusa dos chamados muçulmanos moderados excomungar chamados de terroristas muçulmanos que crianças muçulmanas superam crianças cristãs nas principais cidades europeias, ou que mais as coisas mudam na Europa, porque eles são um insulto ao Islã como o nome e celebrar festas cristãs ou entregar comida com carne de porco nas escolas, e muito mais.

(*)Quinta-coluna é uma expressão usada para se referir à grupos clandestinos que atuam, dentro de um país ou região, prestes à entrar em guerra (ou já em guerra) com outro, ajudando o inimigo, espionando e fazendo propaganda subversiva, ou, no caso de uma guerra civil, atuando em prol da facção rival. Por extensão, o termo é usado para designar todo aquele que atua dentro de um grupo, praticando ação subversiva ou traiçoeira, em favor de um grupo rival. O quinta-colunismo não se dá no plano puramente militar, mas, também por meio da sabotagem ou da difusão de boatos, "atacando de dentro" ou procurando desmobilizar uma eventual reação à agressão externa.

A expressão "Quinta-Coluna", nasceu durante a guerra civil espanhola (1936-1939) para designar a comunidade de madrilenhos (de Madrid) simpatizantes do general Francisco Franco que tomou o poder na Espanha como ditador depois da guerra civil espanhola e da segunda guerra mundial).

A própria Itália fornece ampla evidência de que está executando uma mudança cultural enorme. 

Será que ninguém no Vaticano se deu conta de que Roma é o local onde está localizada (a segunda) maior Mesquita da Europa(*)?, Nem que 10 mil muçulmanos realizaram uma oração/reunião/protesto, em frente à catedral de Milão?, Ou que dezenas de milhares de imigrantes muçulmanos passaram e continuam passando para a Itália, através da ilha de Lampedusa à cada ano, para liquidar na Europa?

(*)A segunda maior Mesquita da Europa, inaugurada em dezembro de 2010, e que pode receber cerca de 3 mil pessoas, está localizada em Roterdã, na Holanda, e o número crescente de Mesquitas gigantes em toda a Europa, estão mudando não somente o panorama físico, mas, também, conforme dizem alguns especialistas, provavelmente mudarão o panorama político da Europa ocidental. Atualmente, Londres, na Inglaterra, é o lar da maior Mesquita da Europa ocidental, a Mesquita Baitul Futuh, da comunidade muçulmana Ahmadi, que comporta em torno de 12 mil pessoas).

Será que alguns tem forçado o Papa ao exílio em Roma, com o argumento de que a sua presença é um insulto ao dia do Islã?


PROFECIAS SOBRE OS ÚLTIMOS PAPAS


Muitas profecias preveem igualmente que, um Papa seria assassinado depois de se retirar para o exílio, isto é, para fora dos muros da Cidade Estado do Vaticano, indo buscar refúgio noutra cidade, noutro país.

O Papa Bento XVI renunciou ao Papado em 28 de fevereiro de 2013 ficou recluso em Castelgandolfo à cerca de 25 km de Roma, cerca de dois meses depois, voltando para o Vaticano, onde viverá na Casa Santa Marta, juntamente com mo seu sucessor, o atual Papa Francisco.

Mesmo renunciando ao Papado, o Papa Bento XVI continua sendo chamado de sua Santidade o Papa, passando à ser considerado Papa e Bispo Emérito de Roma, e usando as mesmas vestes brancas que usa o Bispo de Roma, ou seja, o Papa Francisco. 

O curioso nessa inusitada situação, é que há dois Papas, dois Bispos vestidos de branco vivendo no Vaticano. Mas, isso não significa que há um Cisma na Igreja. O Grande Cisma ainda se configurará num futuro próximo quando um novo Papa usurpar o trono do Papa legitimamente eleito.

Portanto, ao ainda carregar o título de Papa, o Papa Emérito Bento XVI, deve ser um dos dois Papas mencionados nas profecias que preveem que um Papa já bem velho e enfermo, atravessará a cidade de Roma meia em ruínas, tendo de caminhar sobre os cadáveres de seus padres, e ser morto à tiros por soldados aos pés de uma grande cruz de troncos, chegando à um monte. Ao mesmo tempo, um outro Papa vai fugir do Vaticano e de Roma pelo ar (no Papacóptero), para pedir asilo no exílio, num outro país, para depois, ter uma morte cruel em terras estrangeiras. 

Aguardemos com muita apreensão os acontecimentos dos próximos anos!

A PROFECIA DE JEANE DIXON - Estados Unidos - 1950/1970: 

"Haverá um Papa que será assassinado estando fora de Roma". 

A Profetisa norte-americana predisse nos anos 60, que um Papa será ferido até finais do século XX. Fato: O Papa João Paulo II, foi gravemente ferido num atentado em plena praça de São Pedro em Roma, em 13 de maio de 1981.

Jeane Dixon também "visualizou", como um Papa morreria assassinado estando fora de Roma, marcando assim, um Papa antes e um Papa depois no governo do Papado.

A PROFECIA DE JUAN DE VATIGUERO - Espanha: 

Dadas certas circunstâncias perturbadoras, o Papa terá que fugir de Roma e mudar de residência. Mas, já não será reconhecido seu Papado, o qual deixará a Igreja sem governante real.

Este profeta disse no século XIII: Quando o mundo se encontre perturbado, o Papa mudará de residência, e durante 25 meses (por dois anos e um mês) não haverá nenhum governo nem Papa na Igreja de Roma. 

A PROFECIA DE JUAN DE ROCAPARTIDA - Espanha: 

Este profeta nos disse que quando esteja a ponto de chegar o fim do mundo, o Papa e seu séquito de cardeais, fugirão de Roma, quase às escondidas e sem ser reconhecidos, o Papa morrerá no exílio.

A PROFECIA DE SAINT NICHOLAS OF FLUE - Suíça: 

Saint Nicholas de Flüe (em alemão: Niklaus von Flüe), nascido em 25 de setembro de 1417 e falecido em 21 de março de 1487, foi um asceta e eremita suíço, que é o santo padroeiro da Suíça. Ele é às vezes chamado de "Irmão Klaus". Foi um agricultor, líder militar, membro da assembléia, conselheiro, juiz e místico. Ele era respeitado como um homem de integridade moral completa. O conselho do Irmão Klaus à Dieta de Stans (1481), ajudou a impedir a guerra entre os cantões suíços.

Ele prognosticou no século XV, que: 

"Chegará um tempo em que a Igreja cairá desolada, sem Pedro nem seus sucessores. 

A Igreja será punida, porque a maioria de seus membros, altos e baixos, vão se tornar tão pervertidos. A Igreja vai afundar mais e mais, até que ela vai finalmente parecer estar extinta, e a sucessão de Pedro e dos outros Apóstolos terá expirado. Mas, depois disso, ela vai ser vitoriosa e exaltada à vista de todos que duvidam disso". 

A PROFECIA DE HELEN WALLRAF:

Ela pronosticou no século XIX: 

Chegará o dia em que o Papa fugirá de Roma na companhia de apenas quatro cardeais... e eles virão à Colônia" (Koln, na Alemanha).

A PROFECIA DE ANNA KATERINA EMMERICK (Beata da Igreja Católica): 

Chegará um momento em que a Igreja será muito atacada e haverão muitos sacerdotes tíbios(*). Não obstante, a Igreja será protegida pela Virgem (Maria) e por um Papa. Este Papa ficará oculto, e as pessoas não saberão onde ele está. Surgirá uma Igreja falsa e perversa. 

(*)Tíbios: tépidos, mornos. Frouxos, fracos. Indolentes; apáticos; indiferentes; desatentos. Descuidados, com falta de entusiasmo: tíbio no desempenho de suas funções).

O Anticristo aparecerá e perseguirá os Católicos, e também desaparecerá a presença Eucarística da Igreja

A Terra cairá desolada e em ruínas. Haverão lutas e batalhas por toda parte. Contudo, 12 novos apóstolos trabalharão o bem. Finalmente a Virgem e os Seus vencerão. Aparecerão um novo Papa e a Nova Jerusalém.  

"Eu também vi o Santo Padre temente à Deus e em oração. Nada deixou a desejar em sua aparência, mas, ele estava enfraquecido pela idade avançada e por muito sofrimento". 

"Eu vi uma forte oposição entre dois papas, e vi como serão as consequências da falsa igreja (...) Isso fará com que (haja) o maior cisma que tem sido visto no mundo". 

A PROFECIA DA ABADIA DO PREMOL, século V - França: 

"E eu vejo o Rei de Roma (o Papa) e sua Cruz e a sua tiara, sacudindo a poeira de de seus sapatos, e apressando seu "vôo" para outras praias. Tua Igreja, Senhor, está dilacerada por Seus próprios filhos. Um acampamento será fiel ao Pontífice na fuga, o outro estará sujeito ao novo governo de Roma, que tem quebrado a tiara. Mas, Deus Todo-Poderoso, em Sua misericórdia, porá fim à esta confusão, e uma nova era vai começar. Em seguida - disse o Espírito - que este será o início do fim dos tempos".

A PROFECIA DE SÃO JOÃO BOSCO - Itália:

Dom Bosco advertiu, no século XIX, ao Papa Pio IX do dia da luz brilhante que resplandecerá no céu no transcurso de uma batalha. Nesse instante, o Papa e seus servidores, abandonarão o Vaticano, passando por uma praça (a praça de São Pedro, em Roma) coberta de mortos e feridos. Todo o país (a Itália) sofrerá uma grande perda de população e a Terra se agitará como se arrasada por um furação e cairá um forte granizo (saraiva, pedras de gelo). Durante duzentos amanheceres (200 dias) o Papa e seu séquito vagarão por terras estrangeiras.

A PROFECIA DE FÁTIMA (O Terceiro Segredo de Fátima) - Fátima - Portugal, 1917: 

Em 26 junho de 2000, o Papa João Paulo II deu à conhecer o que parece ser apenas uma primeira parte do Terceiro Segredo de Fátima.

O que o Vaticano revelou, naquela ocasião sobre o Terceiro Segredo, foi segundo a Igreja, nas palavras da irmã Lúcia:

“Depois das duas partes que já expus, vimos ao lado esquerdo de Nossa Senhora, um pouco mais no alto, a um Anjo com una espada de fogo na mão esquerda; cintilando emitia chamas que pareciam iam a incendiar o mundo; porém, se apagavam ao contato com o esplendor que Nossa Senhora irradiava com sua mão direita dirigida até Ele; O Anjo assinalando a Terra com sua mão direita, disse com forte voz: Penitencia, Penitencia, Penitencia!, E vimos em uma imensa luz que é Deus, e um Bispo vestido de Branco.

Também a outros Bispos, sacerdotes, religiosos e religiosas subir uma montanha íngreme, em cujo cume havia uma grande Cruz de madeira tosca, como se fosse de sobreiro (carvalho) com o córtex; O Santo Padre, antes de chegar à ela, atravessou uma grande cidade meio em ruínas e meio trêmulo com passo vacilante, pesaroso de dor e pena, rezando pelas almas dos cadáveres que encontrava pelo caminho; Chegado acima do monte, prostrado de joelhos aos pés da grande Cruz, foi morto por um grupo de soldados que lhe dispararam vários tiros de arma de fogo e flechas; e do mesmo modo morreram uns atrás dos outros, os Bispos, sacerdotes, religiosos e religiosas e diversas pessoas seculares, homens e mulheres de diversas classes e posições. 

Abaixo dos dois braços da Cruz haviam dois Anjos, cada um deles com uma jarra (cântaro) de cristal na mão, nos quais recolhiam o sangue dos Mártires e regavam com ele as almas que se acercavam à Deus”. 

A Virgem do Rosário de Fátima disse em 1917: 

Meu imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrará a Rússia à Mim e (ela) se converterá, e um período de paz(*) chegará á todo om mundo. 

(*)"O Santo Padre consagrará a Rússia à Mim e (ela) se converterá, e um período de paz(*) chegará à todo o mundo” - (o que significa que 25 anos de paz serão concedidos à humanidade depois do Grande Castigo dos três dias de trevas).

A PROFECIA DO PAPA JOÃO XXIII (SÃO JOÃO XXIII) - Vaticano - 1957-1963: 

O Papa João XXIII, tinha alucinações e entrava em estranhos transes, durante os quais, tinha visões terríveis. Numa dessas visões, o Papa disse:

"Bento, Bento, Bento. Um novo Papa de uma Igreja Mãe sorridente.

Os filhos do Santo de Milão (Santo Ambrósio de Milão). Dezesseis te contarão(*). Os jovens virão à aclamar-te. A Terra te levantará as mãos. Continua a Profecia...

(*)"Os filhos do Santo de Milão": Em outubro de 2007, em Milão, o Papa Bento XVI dedicou a catequese da Audiência Geral à Santo Ambrósio de Milão, dizendo: “Da vida e do exemplo do bispo Ambrósio, Agostinho (Santo Agostinho) aprendeu a crer e a pregar”. A vida e o testemunho do santo Bispo de Milão, Ambrósio, que faleceu na noite entre 3 e 4 de abril de 397, no alvorecer do Sábado santo, estiveram no centro da reflexão do Santo Padre Bento XVI durante a Audiência Geral de uma quarta-feira, dia 24 de outubro de 2007.  Vide mais em: http://www.fides.org/pt/news/11215-VATICANO_Bento_XVI_dedica_a_catequese_da_Audiencia_

...Continuação da Profecia:

A Virgem Maria estará próxima, a Virgem que foi sacrificada. Em suas palavras acharás o caminho, Bento, Bento, Bento. Tu serás o pai de todos. Será difícil o início da viagem, caminhar em Roma nos dias de sangue. Dissiparás as trevas da hora sexta(*isto é, do meio-dia) e aclararás os sepulcros. darás nomes sagrados às coisas sagradas, e nomes profanos às coisas profanas. Continua a Profecia...

(*)A Hora Sexta e a Hora Nona são encontradas na Bíblia Sagrada. Encontramos em muitos capítulos da Bíblia Sagrada referências às horas sexta e nona. Naquela época os homens usavam o calendário judaico.

Diferente do formato de hora que usamos hoje, o calendário judaico mostra as horas assim:

Primeira hora: Inicia-se ao nascer do Sol; ou seja, das 06:00 hs. da manhã às 09:00 hs. da manhã;

Terceira hora: Inicia-se às 09:00 hs. da manhã;

Sexta hora: Inicia-se ao meio-dia;

Nona hora: Inicia-se às 15:00 hs.

Conforme as referências bíblicas, as horas são escritas assim:

Terceira hora: das 06:00 hs. da manhã às 09:00 hs. da manhã;

Sexta hora: das 09:00 hs. da manhã às 12:00 hs;

Nona hora: das 12:00 hs às 15:00 hs;

Décima-segunda hora: das 15:00 hs às 18:00 hs;

Depois desse período vem a Vigília:

Primeira vigília: das 18:00 hs. às 21:00 hs. (da noite)

Segunda vigília: das 21:00 hs. às 24:00 hs;

Terceira vigília: das 24:00 hs às 03:00 hs. (da madrugada);

Quarta vigília: das 03:00 hs. às 06:00 hs. (do amanhecer).

Fonte: Calendário Judaico


Os escritores do Evangelho, no Novo Testamento Bíblico, registraram que:

“Desde a hora sexta até a hora nona houve trevas sobre a Terra. Cerca da hora nona bradou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactani; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” - (Mateus 27:45-46 e  Marcos 15:33-34).

“Já era quase a hora sexta, houve trevas em toda a terra até a hora nona, pois o sol se escurecera; e rasgou-se ao meio o véu do santuário. Jesus, clamando com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isso, expirou" - (Lucas 23:43-45).

Além deles, encontramos ainda referência no livro de Amós. Lá, o Profeta Amós, muito antes de Jesus nascer, escreveu:

"Naquele dia, diz o Senhor, farei que o sol se ponha ao meio-dia, e cobrirei a Terra de trevas em pleno dia. E tornarei as vossas festas em luto, e todos os vossos cânticos em lamentações; porei sacos sobre todos os lombos, e calva sobre toda cabeça; e farei que isso seja como o luto por um filho único, e o seu fim como dia de amarguras” - (Amós 8:9-10).

...Continuação da Profecia do Papa João XXIII:

Israel, tu que sofres e lutas como nenhum e não sabem compartilhar teus padecimentos. Vocês sois irmãos. Sempre os empurram ao combate, porém, não saem todavia de seu esconderijo. Aqui se decide o destino do mundo. O ódio pelo templo, a ruína de todos. Dois irmãos se matarão no ataque do maior deles, então, combaterão os filhos. Lutarão entre si, a lua crescente (os muçulmanos) contra a Estrela e o Grande Império. Entre eles se ergue a cruz negra. Inferno na Terra.

Bento, quando os irmãos combatam entre si, receberás em tua casa à um santo descalço. E deixará à espera os poderosos de mãos desarmadas, rezando por ti.

A tua será a viagem da coragem, o desafio ao mundo e a derrota do príncipe das trevas.

O santo falará por ti em cada região e eis que aí te cobrirão de flores brancas por todo o mundo.

À quem te envie soldados, tu lhes oporás legiões. E nunca retirarás tua palavra. Retirarás teus sapatos e andarás descalço.

Quando divulgues a palavra de Maria, verás fechar a ferida que sofrerás. a Mãe da Igreja será a Mãe do mundo. O Anjo chama-lo-á, Bento. Dias depois que o sangue manchar o deserto e outras partes da Terra, o mundo inteiro se rebelará contra o jugo dos poderosos, contra a irmandade secreta dos grandes que tramavam a escravização dos povos da Terra. 

Os escassos chefes honrados se unirão e os culpados serão julgados e derrubados" (depostos).

AS PROFECIAS DE SÃO MALAQUIAS - Irlanda - 1139:

O bispo irlandês São Malaquias profetizou no ano de 1139 d.C., acerca dos últimos papas, ao deixar escritos 111 lemas proféticos em latim, relativos aos futuros papas da Igreja Católica Romana, desde o ano 1140, até o fim dos tempos. 

São Malaquias (nome completo, em irlandês antigo: Malachy Máel Máedóc Ua Morgair. Em irlandês moderno: Maelmhaedhoc O'Morgan), nasceu em 1094, na Irlanda. Ainda na adolescência tornou-se abade e mais tarde Bispo de Armagh. 

As suas visões começaram em 1139 na sua primeira viagem à Roma. Foi canonizado em 1199 pelo Papa Clemente III. Foi-lhe atribuída a autoria das Profecia dos Papas. 

São Malaquias foi um místico irlandês que viveu no século XII, conhecido por uma rica tradição de legendas, visões, milagres e profecias. Foi companheiro e amigo do célebre de São Bernardo de Claraval, doutor da Igreja e inspirador da confraria esotérica da “Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo no Templo de Salomão”, popularmente conhecidos como Templários. São Bernardo escreveu sua biografia, "A vida de São Malaquias", na qual informa que ele tinha o dom da profecia e que previu o local, o dia e a hora exata da própria morte. 

Malaquias era também, contemporâneo do Monge de Pádua que deixou escrita uma outra profecia relativa aos últimos 20 papas da história da Igreja contemporânea. O Monge de Pádua, por sua vez, adicionou um complemento profético à última profecia de São Malaquias, relativa ao último Papa que se sentaria na cadeira de Petrus Romanus, ou seja, no trono de São Pedro em Roma. 

São Malaquias morreu em 1148, na abadia de Claraval, na França, e foi canonizado pelo Papa Clemente III ao final do século XII, tornando-se o primeiro santo irlandês oficialmente reconhecido pela Igreja Católica.

São Malaquias costumava passar temporadas em Claraval. Uma delas ocorreu em 1139, quando o religioso, em peregrinação à Roma, passou pela Escócia, Inglaterra e França. Foi nesse ano que ele teve a visão dos pontífices que ocupariam a Sé de Pedro, de sua época (os anos 1140) até o “fim dos tempos”. Ele visitou São Bernardo de Claraval outras vezes, e com ele manteve uma intensa correspondência, que culminou, em 1142, com a fundação da grande abadia de Mellifont, primeiro mosteiro cisterciense da Irlanda (os monges cisterciences segundo a regra de São Bento, muito embora não sejam considerados Beneditinos).

A profecia de São Malaquias sobre os papas, apresenta 111 breves divisas escritas em latim, muitas em linguagem cifrada, contadas à partir de Celestino II, Papa entre 1143 e 1144. 

Apesar de terem sido escritas no século XII, essa lista profética dos papas, foi oficialmente publicada somente quatro séculos após a morte de São Malaquias. Em 1595, o monge belga Arnold de Wyon, uma espécie de historiador da Ordem de São Bento, publicou "A árvore da vida", coletânea de biografias de figuras de destaque entre os beneditinos de toda a Europa. 
No capítulo dedicado ao santo irlandês, a profecia dos papas foi incluída. 
Arnold Wion foi um monge beneditino e historiador, nascido em Douai (então, na Holanda espanhola), em 15 de Maio de 1554, e morreu perto de Mântua (na Itália), em 1610.

Muito dedicado à bolsa de estudos, Arnold de Wyon, escreveu um grande livro sobre a história da Ordem de São Bento, intitulado "Lignum Vitae, Ornamentum & Confundentur Ecclesiae em quinque libros divisum". Ele tinha começado o livro em Flanders e o terminou em Mântua. Em 1592 , um capítulo geral lhe permitiu dedicar o livro ao rei Filipe II. O livro foi publicado em Veneza em 1595, em dois volumes de quatro, que perfazem um total de mais de 1600 páginas. Ele começa com a grande dedicação para Felipe II, onde o autor pretende mostrar que a Casa da Áustria era descendente da família romana Anicii, que também tinha ligação com Bento de Núrsia (São Bento). 

Em seguida, os dois livros do Volume I, contam a história de São Bento, em sua Ordem e diferentes congregações à que se deu o seu nascimento. Em uma passagem do livro, intitulado "Prophetia S. Malachiae, Archiepiscopi de Summis Pontificibus", na página 307, ocorre pela primeira vez a publicação das profecias do bispo irlandês São Malaquias, que morreu na Abadia de Clairvaux, na França, onde Wyon diz: acho mesmo que elas foram escritas por partidários do Cardeal Girolamo Simoncelli, um nativo de Orvieto, durante o longo conclave de outubro-dezembro de 1590, que viu a eleição de Gregório XIV (que seria o próximo papa, que foi nomeado pela fórmula antiquitate "De Urbis e Orvieto", que vem do latim "Urbs vetus", "Old Town"). 

O Volume II desse livro contém os mártires da Ordem Beneditina (livro 3) biografias de imperadores, reis, príncipes, etc., que terminou com os beneditinos (Livro 4), a reforma da lei e os grandes feitos dos papas, bispos, abades, etc., que saíram dela.

Este livro foi traduzido em italiano e alemão (o último, abreviado por Karl Stengel OSB, reeditado três vezes em Augsburg, em 1609, 1621 e 1707). Muito se tem criticado a falta de seriedade deste livro, mas, ele ainda foi utilizado, entre outros, por Jean Mabillon.

A coletânia de biografias chamada "A árvore da vida", de Wyon, contém notas biográficas sobre São Malaquias e diz que o santo irlandês “escreveu vários opúsculos.

Tendo em conta sua novidade e, até onde se saiba, o fato de não ter sido ainda impressa, e também que muitos gostariam de conhece-la, reproduzo a profecia de São Malaquias na continuação de seu conteúdo”.

O livro se tornou um grande sucesso em toda a Europa, então, cristã. Provocou muita curiosidade e polêmicas, sobretudo quanto à sua autenticidade, pois, alguns duvidaram que a profecia tivesse mesmo sido composta por São Malaquias. A sanção definitiva de validade, contudo, só poderia vir no futuro, pois, do total de 111 divisas ou lemas mencionados no livro de Wyon, 76 já pertenciam ao passado, em 1595. O mesmo não se poderia dizer dos nomes dos 36 papas restantes, começando com Clemente VIII, que governou a Igreja até 1605.

Entre as profecias, algumas se destacam pelas surpreendentes correspondências – ou seriam coincidências?

Por exemplo, as divisas “Lumen in Caeli” (Luz no Céu), para o Papa Leão XIII (1878-1903), ou a “Religio Depopulata” (Religião Despovoada), para o Papa Bento XV (1914-1922). 

Quanto à este último, o Papa "Religio Depopulata", que diz respeito à Bento XV, seu Papado incluiu tragédias, como a Primeira Guerra Mundial e a Revolução Russa, entre 1914 e 1922, que não apenas resultou no “despovoamento” de milhões de pessoas, por causa da guerra civil que à ela se seguiu, como promoveu ativamente o ateísmo e a perseguição religiosa. 

No caso de Leão XIII, o brasão de sua família, a família Pecci, exibe um vistoso cometa, a “Luz no Céu”, sobre um fundo azul-celeste – sejam quais forem outros sentidos mais profundos da profecia.

“Pastor et Nauta” (Pastor e Marinheiro), foi o vaticínio que coube à João XXIII (1958-1963). Este Papa foi de fato, pastor de ovelhas na juventude. Além disso, foi também o patriarca de Veneza, cidade italiana sob as águas do mar, famosa por seu meio de transporte típico, a gôndola (o único meio de transporte veneziano), de maneira que todo veneziano pode ser chamado de “nauta” ou "marinheiro".

-Durante o conclave de 1958, a edição, então, disponível das profecias de São Malaquias, se esgotou, tamanho foi o interesse e a curiosidade sobre as previsões. O enigmático mote latino  “Pastor et Nauta”, estava na cabeça de todos. Em Roma, correram rumores de que o, então, Cardeal Spellman, de Nova York, conhecido pelo grande interesse nas predições, teria alugado um barco e com ele cruzara o rio Tibre. Mais ainda, ele comprou algumas ovelhas e as colocou no seu barco, tudo isso para influenciar o povo e a sua eleição, o que não ocorreu.

A divisa “Flos Florum“ (Flor das Flores), isto é, o lírio (considerado a Flor das flores), coube ao sucessor de João XXIII, o Paulo VI (1963-1978). Aqui, a explicação está na heráldica, posto que o lírio é um elemento proeminente no brasão da família Montini (sobrenome de Paulo VI). 

A divisa que a profecia de São Malaquias reservou para o Papa Pio VII (1800–1823), por exemplo, foi “Aquila Rapax” (Águia Rapace ou Águia de Rapina. Apesar da águia não figurar no brasão do Papa Pio VII, há uma explicação para o enigma, segundo o autor inglês Martin Lings, na revista Studies in Comparative Religion: “Não havia como fazer tal divisa se ajustar ao papa, então, eleito. Mas, depois de nove anos de sua assunção, súbitamente tudo se tornou claro, entendendo-se que a “Aquila” (ou a Águia) era ninguém menos que Napoleão Bonaparte, frequentemente descrito como tendo a aparência de uma águia e que se mostrou de ‘Rapina’, ao arrebatar o Papa Pio VII de Roma e mantê-lo cativo em Savona à partir de 1809 e, depois, em Fointainebleau, à partir de 1812, até que sua própria sorte começou à declinar e Pio VII pôde retornar à Roma”.

“Peregrinus Apostolicum” (Peregrino apostólico), é o lema dedicado ao antecessor deste Papa, o Papa Pio VI (1775–1799). Aqui também a explicação dada por Martin Lings parece convincente, pois, muitas vezes a profecia se refere à coisas imprevisíveis sobre as quais nem o papa, nem os cardeais poderiam ter controle. O Papado de Pio VI foi um desses casos, pois, a palavra "Peregrinus" se mostraria aplicável acima de tudo ao trágico fim de sua vida. Em 1798, ele foi feito prisioneiro pelo exército republicano francês e forçado a viajar de Roma à Siena, daí para Florença, Turim, e depois, atravessando os Alpes, para Briançon, Gap, Grenoble e, finalmente, Valence, onde só a morte pôs um fim à suas “peregrinações”, posto que o diretório já havia decidido transferi-lo para Dijon. Mas, se tudo isso foi trágico do ponto de vista individual, foi também, para exasperação de seus captores antirreligiosos, uma procissão triunfal, tais eram os exemplos de devoção mostrados ao papa pelos povos da Itália e da França, aonde quer que ele fosse.

As palavras que descrevem um pontífice de nossa época, o sorridente João Paulo I (chamado o Papa Sorriso), que foi papa de 26 de agosto à 28 de setembro de 1978 - o mais curto papado da história), deram origem a muita especulação por séculos à fio. “De Medietate lunæ” (Da meia-lua ou da Metade da lua), é a sua divisa latina dada por São Malaquias. 

Como o signo do Islã é a lua crescente, especulou-se que poderia ser uma referência à essa religião. Mas, “ninguém pensou que a lua poderia significar simplesmente o mês”, escreveu Lings. Se tal sugestão tivesse sido feita, teria sido rejeitada como sem sentido pela pergunta: “Que mês?”, A resposta certa, “o único mês que ele governará”, só poderia ter sido dada pelo próprio São Malaquias, ou por alguém como ele. 

Mas, há quem também tenha sugerido que a divisa latina dada ao Papa João Paulo I, tenha outros dois sentidos: o primeiro é de isso tem haver com o nome de batismo do Papa, isto é, Albino Luciani, que significa "Luz Branca", o que nos remete à luz branca da Lua. Outra interpretação diz que isso tem haver com o largo sorriso do Papa João Paulo I, apelidado carinhosamente pela cúria romana de "O Papa Sorriso", sendo que o sorriso largo tem a semelhança de uma meia-lua ou da lua crescente. Eu creio que todas essas interpretações estejam corretas e convergem para identificar o Papa que São Malaquias nomeou "De Mediatate lunae" 

A legenda do pontífice seguinte também faz referência à um corpo celeste, neste caso “De Labore Solis” (O Trabalho do Sol). A divisa cabe corretamente ao Papa João Paulo II (1978-2005), o penúltimo dos 111 motes latinos na lista profética de São Malaquias. 

Uma das interpretações, esteja correta ou não, lembra que Karol Wojtyla nasceu em 18 de maio de 1920, no dia de um eclipse do sol. E que no dia de seu funeral, em 8 de abril de 2005, houve outro eclipse solar!

Mas, o mais certo é que São Malaquias ao nomear o Papa João Paulo II como De Laboris Solis, esteja se referindo à Nicolau Copérnico, que com sua Teoria do Heliocentrismo, provou que o Sol é o Centro do Universo e não a Terra como se pensava naquela época. Copérnico provou a sua teoria na cidade de Cracóvia, na Polônia, cidade onde o Papa João Paulo II se mudou em 1938, onde mais tarde fez seu seminário e com 38 anos se tornou   bispo e arcebispo de Cracóvia em 1967, quando no mesmo ano foi nomeado Cardeal.  

O último papa da lista de São Malaquias, o Papa Bento XVI, é referido pelo seguinte mote latino: “De Gloria Olivae“.

Alguns comentaristas especularam que a divisa seja uma referência aos Olivetanos, um ramo da Ordem Beneditina, fundada por São Bento de Núrcia. Como o nome papal de Bento 16 foi uma homenagem ao fundador da Ordem dos Beneditinos, São Bento de Núrcia, e o nome papal adotado pelo Cardeal alemão Joseph Ratzinger, poderia significar também, a “Glória” da Ordem em questão, ou a Glória da Ordem Olivetana ou Beneditina. 

Seja como for, algumas vezes a solução do enigma só surge depois de certo tempo depois que o Papa em questão já foi eleito. Afinal, como observou o autor britânico William Stoddart, as “profecias são fenômenos que ocorrem em toda religião, sendo elas difíceis de interpretar antes dos eventos, e mais fáceis de comentar depois. Geralmente, são simbólicas, e não literais, com exceção das célebres profecias de São Malaquias”. Estas, se são simbólicas ou enigmáticas, no que diz respeito ao lema latino de cada pontífice, parecem, não obstante, ter uma motivação global literal, ou quantitativa, na medida em que visam registrar o nome de todo aquele que tenha ocupado a Sé de São Pedro da época de sua composição, na Idade Média, até o derradeiro papa do presente ciclo histórico, que, segundo a profecia, deveria chamar-se “Petrus Romanus” (Pedro Romano), enquanto que, a interpretação correta é "Sentar-se-á na cadeira de Pedro Romano", isto é, na cadeira, cátedra ou trono de São Pedro (o primeiro Papa Romano).  

Sobre o último Papa, que, ao que tudo indica, é o Papa Bento XVI, São Malaquias escreveu: 

“Na perseguição final contra a Santa Igreja Romana, Pedro Romano sentar-se-á no trono (papal) e apascentará seu rebanho em meio a muitas tribulações. E quando estas coisas tiverem acontecido, a cidade das sete colinas (possivelmente Roma) será destruída, e o Juiz tremendo (Jesus Cristo) julgará seu povo“.

A PROFECIA DO MONGE DE PÁDUA SOBRE OS PAPAS - Itália:

O Monge de Pádua acrescentou o seguinte à essa Profecia de São Malaquias relativa ao último papa:

"Na suprema desolação do mundo, reinará Pedro Romano, último Pontífice de Deus verdadeiro!, Roma criminosa será destruída e o juiz tremendo julgará triunfante todos os povos."

As profecias do Monge de Pádua foram publicadas em Veneza no ano de 1527. A lista do Monge de Pádua é semelhante a das Profecias de São Malaquias. Aos últimos 20 Papas correspondem simples frases. 

Os últimos seis Papas da lista do Monge de Pádua receberam as seguintes frases:

O Papa de número 15: "Homem de grande humanidade que fala francês" 

-Foi João XXIII (1958 à 1963), que falava Francês e foi núncio apostólico em Paris. Foi conhecido como sendo um homem de grande humanidade.

O Papa de número 16: "A sombra do Anticristo começará a obscurecer a Cidade Eterna". 

-Foi Paulo VI (1963 à 1978), que disse em 1968, que "a fumaça de Satanás" tinha penetrado na Igreja por alguma fenda.

O Papa de número 17: "O pastor da laguna; seu reinado será tão rápido como a passagem de uma estrela cadente." 

-Foi João Paulo I (1978), que faleceu 33 dias depois de sua eleição, tendo um pontificado tão rápido quanto a passagem de uma estrela cadente.

O Papa de número 18: "Virá de longe e manchará a pedra com seu sangue" 

-Foi João Paulo II (1978 à 2005), que veio da Polônia. A maior parte dos Papas até então, tinham sido  italianos, por isso a frase diz que ele viria de longe. O atentado sofrido por João Paulo II em Maio de 1981, manchou de sangue as pedras do chão da Praça de São Pedro. "Manchou de sangue a pedra", isto é, o Sólio (a Cadeira Pontifícia), a Cadeira de Pedro ou o Trono de São Pedro - A Pedra. 

O Papa de número 19: "Semeador de paz e de esperança em um mundo que vive suas últimas esperanças"

-Bento XVI (2005 à 2013), é chamado de a "Glória da Oliveira" (símbolo da esperança) na profecia de São Malaquias. Devoto de São Benedito, O Cardeal alemão Josef Aloisius Ratzinger, nasceu num dia 16 de abril, mesmo dia e mês em que se comemora a festa de São Benedito ou São Bento José Labré, que não tem nada haver com São Bento de Núrcia, o fundador da Ordem beneditina ou Olivetana. Bento XVI veio numa época em que o mundo, sedento de Paz e Esperança, está sofrendo grandes convulsões e às portas de grandes atribulações e verdadeiramente vivendo suas últimas esperanças de Paz.

O Papa de número 20: "Ele chegará à Roma de uma terra distante para encontrar tribulação e morte".

-O Monge de Pádua, termina a sua profecia se referindo ao atual Papa Francisco, que veio da Argentina, da América do Sul, "de uma terra distante", para se tornar Papa de Roma, mas, também "para encontrar tribulação e morte).

A PROFECIA DA MONJA DE DRESDEN - Alemanha:

Ela também falou do Papa "De Gloria Olivae" - o Papa Bento 16.

Anjo Guia de Josafá, com o Sinal da Glória: 

"O segundo Anjo de Josafá chegará à Roma para ser trucidado. E o ouro, os poderes e as vestes de César serão dispersados".

- É o Papa Emérito Bento XVI (2005-2013), que não morreu, mas, foi obrigado à renunciar ao Papado em 28 de fevereiro de 2013, continuando como Papa Emérito. Portanto, a frase final da profecia da Monja de Dresden para esse Papa: "chegará à Roma para ser trucidado", ainda está por se cumprir. Lembrando que o Papa Emérito Bento XVI, continua morando no Vaticano (na casa Santa Marta), e continuará vestindo-se de branco e sendo chamado de Papa. 

Quanto ao restante da frase que diz: "E o ouro, os poderes e as vestes de César serão dispersados", diz respeito à dispersão e ao fim, tanto das riquezas (ouro da Igreja) quanto dos poderes do Papa (comparado à César - Rei de Roma) - Rei em Roma.

- O significado de trucidado é: Matar bárbaramente ou com crueldade. Degolar. Mas, aqui, o termo trucidado ganha outro sentido - o sentido figurado. Trucidar no sentido figurado, é causar o fim de; exterminar, destruir, esmagar (e aqui, no caso, isso se aplica ao Papa Bento XVI, cujo destino ainda não foi cumprido com a sua renúncia).

- O Sinal da Glória é o mesmo a que aludiu São Malaquias em sua célebre profecia dos Papas, sinal que foi atribuído ao Papa Bento XVI com o lema em latim "De Glória Olivae" ou "A Glória da Oliveira", que não somente uma referência à Ordem de São Bento, Ordem Beneditina ou Ordem Olivetana, mas, também uma alusão à futura Glória que a Igreja Católica desfrutará na Terra Santa, em Jerusalém, pois, Israel é chamada (A Oliveira do Senhor) e Jerusalém é chamada de "A Glória da Oliveira do Senhor".

Vejamos os três últimos lemas, motes ou divisas em latim atribuídos por São Malaquias aos dois últimos papas:

Papa 110: De Laboris Solis - O Trabalho do Sol, é João Paulo II, o Papa polonês, nascido em Cracóvia, a cidade onde Nicolau Copérnico provou que o Sol era o Centro do Universo. Nicolau Copérnico, nascido em 19 de Fevereiro de 1473 e morto em 24 de Maio de 1543, foi um astrônomo e matemático polaco (polonês) que desenvolveu a teoria heliocêntrica do Sistema Solar. Foi também cônego da Igreja Católica, governador e administrador, jurista, astrólogo e médico. Sua teoria do Heliocentrismo, que colocou o Sol como o centro do Sistema Solar, contrariando a então vigente Teoria Geocêntrica (que considerava a Terra como o centro), é considerada como uma das mais importantes hipóteses científicas de todos os tempos, tendo constituído o ponto de partida da astronomia moderna.    

Papa 111: “De Gloria Olivae” - A Glória da Oliveira, é o O Papa Benedito XVI (Bento 16) que pertenceu à ordem Beneditina ou Olivetana, fundada por São Bento de Núrcia. Mas, o dia do seu nascimento e de seu aniversário, é 16 de abril, o mesmo dia em que é comemorado a festa de São Bento José Labré, um santo francês da Igreja Católica, que não tem nada haver com São Benedito ou São bento de Núrcia, um santo católico negro da Itália.  Quando seminarista, no seminário onde estudou para ser padre, Joseph Ratzinger (que é o verdadeiro nome de batismo do Papa Bento 16) tinha o apelido carinhoso de "Oliveira".

Além disso, Bento XVI sempre foi muito ligado espiritualmente ao Mosteiro Beneditino de Schotten, perto de Ratisbona, na Baviera, Alemanha. 

Dom Antônio Celso de Queirós, vice-presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), relacionou a adoção do nome papal Bento, com a atuação de São Bento de Núrsia (480-547), fundador da Ordem Beneditina ou Olivetana, Padroeiro da Europa, o que o próprio Papa Bento 16 confirmou após a publicação das explicações sobre seu brasão(*)

(*)O Brasão pontifício de Bento XVI: Andrea Cordero Lanza di Montezemolo projetou o brasão do Papa Bento XVI, em 2005. No brasão de armas do Papa Bento XVI, a coroa com a placa da mitra episcopal é dividida em três campos que carregam símbolos heráldicos específicos: À esquerda (Destro heráldico) está o "Moor de Freising", do brasão da Arquidiocese de Munique e Freising, onde o arcebispo Joseph Ratzinger foi Arcebispo. À direita (Sinistro heráldico), está o urso de São Corbiniano, padroeiro da diocese de Munique e Freising, e símbolo das armas da cidade. 

Abaixo está uma Vieira (um molusco que vive dentro de uma concha), que está lá no brasão do Papa Bento 16 para a peregrinação. Trata-se de uma lenda sobre Santo Agostinho. O mexilhão (ou concha de Vieira) também é encontrado nos braços do Scots Monastery, em Regensburg, no qual Bento XVI começou sua carreira como padre. Atrás do protetor, estão as chaves do Céu, que pela tradição cristã foram recebidas de Jesus por São Pedro, como um símbolo da autoridade papal. O topo, está adornado com uma mitra de um bispo e um pálio, em vez da tiara papal de três camadas tradicionais).

Joseph Ratzinger nasceu em um sábado de Glória, o último sábado antes da Semana Santa, que se inicia no dia seguinte, com o Domingo de Ramos (o dia em que se comemora a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, onde ele foi recebido com Ramos de Oliveiras, que é uma árvore comum em Jerusalém). 

Como vimos, o dia do nascimento de Bento XVI (nascido Joseph Aloisius Ratzinger) foi em um dia 16 de abril, no mesmo dia do nascimento de São Bento (ou Benedito) José Labré, nascido em Amettes, na França, em 25 de maio de 1748 (que não tem nada haver com São Bento de Núrcia, o fundador da Ordem dos Beneditinos ou Olivetanos, nascido em Núrcia, na região da Úmbria, na Itália, cerca de 1200 anos antes, e à cuja Ordem Beneditina ou Olivetana, pertence o Cardeal Ratzinger - o Papa Bento 16). 

Já São Bento José Labré (cujo dia de festa é em 16 de abril, mesmo dia do nascimento do Papa Bento 16), esse santo era o primogênito de uma família camponesa, e teve 15 irmãos. Bento José Labré foi chamado de "Vagabundo de Deus" ou ainda de "O Cigano de Cristo". Aos 18 anos, tentou ingressar na Tropa de Santa Aldegonda, sem sucesso. Diz-se que caminhou, então, 60 léguas a pé, tentando em vão a sorte com os monges cistercienses de Montagne, na Normandia. Passou algumas semanas na Cartuxa de Neuville, outras tantas na abadia cisterciense de Sept-Fons. Aos 22 anos, decidiu, fazer-se peregrino e mendigo. Seu mosteiro seria o mundo inteiro. Levava consigo o Novo Testamento, a Imitação de Cristo e o Breviário. No peito, um crucifixo; no pescoço, um terço; e nas mãos, um rosário. Alimentava-se apenas de pão e ervas, passando a noite ao relento, rezando e meditando.

Bento José Labré chegou à Roma, no ano de 1770, e misturou-se aos mendigos. Visitou as principais basílicas, especialmente o Santuário de Loreto, ao qual fez onze peregrinações. Morreu em consequência dos maus tratos e da absoluta falta de higiene. Um açougueiro recolheu-o já agonizante, caído na rua, e o levou para sua casa. Ali o "Mendigo de Deus" morreu. Foi canonizado por Leão XIII em 1883. É o patrono dos deslocados e das pessoas desadaptadas.

Após as invasões bárbaras, os mosteiros de São Bento foram responsáveis pela manutenção da cultura latina e grega e pela evangelização da Europa. A escolha do nome deste Santo por parte do Papa Bento 16, portanto, representaria que uma das prioridades do Papado de Bento XVI seria a "recristianização da Europa".

A interpretação correta da Profecia de São Malaquias:

Agora vou explicar melhor o texto profético de São Malaquias relativo aos 111 Papas, desde Celestino II, eleito Papa no ano de 1140, até o Papa Bento XVI, eleito em 2005 e resignado em 2013, sendo que Bento XVI é o último Papa da lista profética de São Malaquias. Bento 16 é o Papa do Fim dos Tempos, juntamente com o Papa Francisco.

-Nota: E mesmo cheguei à interpretar que o Papa Francisco pudesse ser o Petrus Romanus (Pedro Romano), quando na verdade, Petrus Romanus como sendo um Papa, não existe. Cheguei á encontrar no nome papal adotado por Francisco, que escolheu este nome em uma homenagem clara à São Francisco de Assis, cujo nome de batismo era Giovanni di Pietro di Bernardone, e vi aí no nome verdadeiro de São Francisco de Assis, o Petrus Romanus da profecia de São Malaquias. Petrus ou Pedro por causa do segundo nome "Pietro" e Romanus ou Romano, por causa da nacionalidade de São Francisco de Assis, que como o nome diz, nasceu em Assis, na Itália, país que naquela época estava sob domínio do Sacro Império Romano-Germânico, e todos que nasciam sob esse império, eram considerados cidadãos romanos. Mas, me enganei redondamente ao interpretar dessa maneira, a profecia de São Malaquias relativa à Petrus Romanus, que na verdade trata-se do Papa Bento XVI, à quem São Malaquias listou como sendo o último papa de uma vasta lista de 111 nomes, dando ao Papa Bento 16 o mote, lema ou divisa papal em latim "De Gloria Olivae" ou "Da Gloria da Oliveira". 

À princípio, acreditava-se como muitos acreditam e assim ainda interpretam; que São Malaquias escreveu acerca de 112 papas futuros, desde o ano 1140. Mas, na verdade, São Malaquias listou ou enumerou apenas 111 papas, sendo que o último deles, que é o Papa descrito como "De Gloria Olivae" (o papa de número 111 da lista), já sabemos ser o Papa Bento XVI. 

A visão profética de São Malaquias ocorreu em uma viagem à Roma por volta do ano de 1139, e nela lhe foram mostrados os 111 Papas que assumiriam a Igreja até o Fim dos Tempos, através de 111 motes curtos compostos por duas palavras em latim, sendo que o último mote(*) em lati, correspondente ao Papa "De Gloria Olivae", vem acompanhado por um adendum de mais algumas linhas proféticas, também descrito em latim. 

O mote, lema ou divisa latina de número 111, intitulado "De Gloria Olivae" tem haver com o Papa Bento XVI que, de acordo com a profecia, já sabemos ser o último Papa (o Papa de nº 111 da lista profética de São Malaquias). No texto de São Malaquias, esse último papa, que está descrito como sendo o Papa "De Gloria Olivae - A Glória da Oliveira", foi especulado que seria uma referência à ordem de São Benedito ou São Bento de Núrcia, cujo, simbolo é uma "Oliveira" e São Benedito ou São Bento de Núrcia, é um santo italiano. 

(*)Mote: Estrofe que, localizada no início de uma composição poética, é utilizada como razão da obra, desenvolvendo o tema do poema. Texto curto, expressão ou ditado de teor satírico; motejo. Aquilo que serve como tema (propósito) de algo. Dito, expressão, sentença que sintetiza um ideal; Lema).

Depois da eleição do Papa Bento XVI, foi visto que a referência à São Bento de Núrcia e à Ordem dos Olivetanos fundada por ele, estava correta, pois, realmente Bento 16 é um Papa ligado à ordem dos Beneditinos ou Olivetanos. 

Na verdade não existe, nem nunca existiu na lista de São Malaquias, um papa de número 112. A última descrição em latim - a mais longa da lista profética de São Malaquias, cita o nome "Pedro Romano" (Petrus Romanus), mas, tal descrição trata-se apenas da continuação da profecia concernente ao Papa nº 111 (o último) da lista profética do Bispo irlandês São Malaquias, ou seja, ao mote papal intitulado "De Gloria Olivae", que refere-se ao Papa Bento XVI. 

Alguns intérpretes mais apressados, deduziram erronea e precipitadamente, que o último papa da profecia de São Malaquias, o qual eles creeem que seja o 112º Papa, foi descrito por um nome concreto que não poderia ser ambíguo, e nem dar margens à outras interpretações, como é o caso de todos os outros 111 papas da lista. 

O detalhe importante na Profecia de São Malaquias, é que o bispo irlandês numerou somente 111 papas e não 112, como sempre foi interpretado pelos pseudo-intérpretes de São Malaquias. A verdade, é que, o que se pensava ser o Papa 112 da lista, na verdade, ainda é uma referência ao Papa 111, ou seja, ao Papa nomeado como "De Gloria Olivae", isto é, o Papa Bento XVI.

A citação latina do nome "Petrus Romanus" (Pedro Romano) - que se segue ao mote latino "De Gloria Olivae" - vem seguida por uma descrição de como terminará o Papado de Bento XVI. São Malaquias descreveu o último papa (o papa de número 111 da lista de sua célebre visão profética do ano 1139, que deve ser lida da seguinte maneira:

(Pontifex 111): "De Gloria Olivae. In persecutione extrema S. R. E. (Sancta Romana Ecclesiae) sedebit Petrus Romanus, qui pascet oves in multis tribulatíonibus; quibus transactis, civitas septicollis diruetur, et ludex tremendus iudicabit populum. Finis". 

A tradução correta e mais precisa da profecia acima escrita em latim, é: 

"A Gloria da Oliveira(*), na extrema perseguição à Santa Igreja Romana, sentar-e-á (na cátedra de) Pedro Romano(*), que apascentará suas ovelhas (seus fiéis) entre muitas tribulações, passadas as quais, a oliveira (De Gloria Olivae ou o Papa bento XVI) ultrapassará(*) a cidade das sete colinas (Roma) e o juiz tremendo, julgará o povo. Fim(*)" 

(*)A Gloria da Oliveira, é uma alusão ao Papado de Bento XVI, um beneditino ou olivetano, oriundo de um Mosteiro da Ordem de São Bento, que ao se tornar Papa, conquistou para essa Ordem, a Glória para os Olivetanos. Bento XVI, ainda glorificará ainda mais a Ordem benedita ou olivetana, ao conduzir a Igreja de Roma para Jerusalém (em Israel) chamada na Bíblia de "A Glória da Oliveira do Senhor"). 

(*)A frase "Sedebit Petrus Romanus", aqui, no caso, se refere única e exclusivamente ao "Sentar-se" na cadeira, cátedra ou trono de São Pedro,  no Papado de São Pedro, que é a Pedra ou Rocha de fundação da Igreja de Jesus Cristo na Terra, e que foi o primeiro Bispo de Roma e o primeiro Papa Romano eleito para governá-la, as atribuições que o próprio Jesus Cristo
deu ao Seu Apóstolo Pedro, ao dizer o seguinte, conforme está escrito em Mateus cap. 16:13-19:

"E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?


E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas.

Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou?


E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.

E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos Céus.

Pois, também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;
 E eu te darei as chaves do reino dos Céus; e tudo o que ligares na Terra será ligado nos Céus, e tudo o que desligares na Terra será desligado nos Céus".


(*)A palavra "Fim", aqui no caso, trata-se apenas do fim, ou da última palavra da profecia dos papas de São Malaquias, que trata do fim dos tempos, e não se refere em hipótese alguma ao fim do mundo).

(*)Diruetur (Do latim Diruet: "Ultrapassar": Passar além de; atravessar, cruzar, transpassar, trespassar, transpor: ultrapassar obstáculos. Exceder os limites previstos. Ir além de: exceder, extrapolar, passar, transcender. Que tem haver com a visão do Bispo vestido de branco, dada por Nossa Senhora do Rosário de Fátima, em 1917, em Portugal, onde o Santo Padre (O Papa Bento XVI) atravessará uma cidade meia em ruínas (Roma e a Cidade do Vaticano), com passos vacilantes, e acabrunhado de dor, passando por cima dos corpos de seus sacerdotes, padres, cardeais e bispos e de outras pessoas, para chegar à um monte aos pés de uma cruz de troncos, e ser atingido por flexas e tiros por soldados, sofrendo uma morte cruel. A visão de Fátima se mistura com a visão do Papa Pio X em 1909 e com outras visoes de santos, místicos e profetas católicos).  

A PROFECIA DE A. CASSERT

"UM PAPA COM A LETRA "Z" NO NOME":

"Quando subir ao trono de Pedro um papa que levará a letra Z no nome, terá chegado o momento de abrigar-se em casa, porque a tempestade está próxima".

-O Papa com a letra "Z" no nome, ao qual o profeta A. Cassert se refere, é  o Papa Bento XVI, cujo nome verdadeiro é: Josef Rat"Z"inger (onde notadamente, a letra "Z" está no nome de batismo do Papa Bento XVI).

*A Ordem de São Bento reivindicou, já a muito tempo atrás, que o Papa "De Gloria Olivae", (último da lista da profecia de São Malaquias) viria de suas fileiras (ou seja, da Ordem Beneditina ou Olivetana). 

São Bento (São Benedito) de Núrcia, profetizou que: 

"...no fim dos tempos, sua Ordem (conhecida como Beneditinos, Oliveiros ou Olivetanos), de alguma maneira, lideraria triunfalmente a Igreja Católica em sua luta final contra o mal". 

E parece que tudo está caminhando para a concretização dessa profecia, conforme as visões dos videntes, santos, místicos e profetas religiosos.

De Gloria Olivae - A Glória da Oliveira:

O Papa Bento XVI, cujo nome verdadeiro é: Joseph Aloisius Ratzinger, e que governou o Papado, de abril de 2005 à fevereiro de 2013, ao que tudo indica, ainda deverá sentar-se na cadeira de Pedro Romano (Na cadeira do Papado de São Pedro), após a fuga do Papa Francisco de Roma).

Joseph Ratzinger nasceu em Marktl am Inn, uma pequena vila na Baviera, às margens do rio Inn, na Alemanha, na diocese alemã de Passau, em 16 de abril de 1927. Recebeu a ordenação sacerdotal em 29 de junho de 1951, a episcopal em 1977 e, no mesmo ano, foi nomeado cardeal no consistório convocado pelo Papa Paulo VI, e desde, então, coordenava a Congregação para a doutrina para a fé cristã no Vaticano. Sob o pontificado de João Paulo II, o Cardeal Ratzinger, tornou-se um dos homens mais influentes do Vaticano. Ele personifica a voz da ortodoxia católica, sendo conhecido no Brasil, sobretudo, como adversário da Teologia da Libertação de Frei Leonardo Boff, que teve voto de silêncio imposto por Ratzinger em 1985 devido às suas posições políticas marxistas. 

Diante da longa duração do Papado de João Paulo II, que foi Papa por mais de 27 anos, não eram poucos os que desejavam um pontificado mais curto para Bento 16, assim como agora, para o seu sucessor, o Papa Francisco. 
Como o cargo de papa é vitalício, uma opção para um pontificado mais curto seria eleger um cardeal idoso, um critério que favoreceria o Cardeal Ratzinger (Papa Bento 16 e o próprio Cardeal Bergoglio (Papa Francisco), e por isso ambos foram eleitos, então, com quase 80 anos de idade em 2005 e 2013 respectivamente. Em 2013 Bento 16 resignou ao Trono de São Pedro, alegando problemas de saúde devido à sua idade avançada de 85 anos. Sendo assim, com esse surpreendente ato de renúncia, Bento XVI abriu um precedente para o seu sucessor, o Papa Francisco, que já anunciou em 19 de agosto de 2014, que o seu Papado chegaria ao fim entre 2016 e 2017.

Segundo a revista Time, o cardeal alemão estava já disposto a "renunciar ao cargo depois de um tempo prudente, quando ainda estivesse com plenas faculdades", o que seria uma revolução na Igreja Católica, pois, nenhum Papa até hoje, em mais de 600 anos, renunciou ao Trono de São Pedro em vida. Fato: Bento XVI anunciou em 11 de fevereiro de 2013, que renunciaria ao Papado, o que de fato se deu em 28 de fevereiro de 2013. Mas, como Bispo e Papa Emérito de Roma, ele optou por ainda morar no Vaticano. 

O 11 DE FEVEREIRO! - Coincidência ou Profecia?

*Espantosa e coincidentemente, a independência do Vaticano só foi reconhecida em 11 de fevereiro de 1929, por meio do Tratado de São João Latrão ou simplesmente Tratado de Latrão, assinado pelo ditador fascista Benito Mussolini e a Santa Sé, representada pelo cardeal Pietro Gasparri, secretário de Estado do Papa Pio XI. O Tratado de Latrão formalizou a existência do Estado do Vaticano (cidade do Vaticano, palácio de Castelgandolfo e as três basílicas patriarcais de São João de Latrão, Santa Maria Maior e São Paulo Extramuros), Estado soberano, neutro e inviolável, sob a autoridade do Papa. Por outro lado, a Igreja Católica renunciava aos territórios que havia possuído na Idade Média e reconhecia Roma como capital da Itália.

A interpretação da divisa latina, lema ou mote escrito em latim: “De Gloria Olivae" ou "Da Glória da Oliveira", atribuído ao Papa Bento XVI, é simples, e reside no fato de o ex-cardeal Josef Ratzinger, o atual Papa Bento XVI, ser devoto de São Bento ou São Benedito, fundador da Ordem Beneditina ou Olivetana - que tem como símbolo um ramo de Oliveira. 

Coincidência ou não, o fato é que, curiosamente, também o dia e o mês do nascimento de Josefh Aloisius Ratzinger, o Papa Bento XVI, é 16 de abril, o mesmo dia do mês em que é comemorado o dia da festa de São Benedito (ou São Bento) José Labré, um santo francês que não tem nada haver com São Bento de Núrcia, o santo italiano fundador da Ordem Beneditina ou Olivetana, e a ligação natalina entre Bento 16 e São Bento José Labré, pode ser também uma das razões de São Malaquias ter indicado o nome papal do Papa Bento 16, com o mote latino "De Gloria Olivae".  

O Cardeal Ratzinger (Papa Bento XVI), quando estudou no seminário Olivetano de , recebeu o pseudônimo de "Oliveira", apelido pelo qual era carinhosamente conhecido. Bento XVI sempre foi muito ligado espiritualmente ao mosteiro beneditino de Schotten, perto de Ratisbona, na Baviera.

Bento XVI, no Vaticano, era o chefe da Congregação para a Doutrina da Fé, por um período muito longo, desde 1981, até ser eleito papa em 2005, no gabinete do prefeito. O escudo da Congregação para a Doutrina da Fé (cujo antigo nome era A Inquisição do Santo Ofício) tem um ramo de oliveira como símbolo em seu escudo ou brasão. 

Pode-se ligar o lema de Bento XVI, também a uma maior aproximação da Igreja Romana com os judeus (cujo símbolo é também a Oliveira). 

Mas, talvez, o que a profecia quis dizer com o lema em latim De Gloria Olivae (Da Glória da Oliveira), seja o fato de ainda o Papa Bento XVI, Papa e Bispo Emérito de Roma, ainda vivo, possa de alguma forma conduzir a Igreja e o Papado em direção a Jerusalém, na Terra de Israel, chamado proféticamente "A Oliveira do Senhor", pois, em Jerusalém, será onde a Igreja obterá a sua maior Glória - A Glória da Oliveira, antes da morte do Papa Emérito Bento XVI e do Martírio do seu sucessor na Grande Atribulação do Mundo e na Tremenda perseguição da Igreja de Roma, com sua destruição final juntamente com a cidade de mesmo nome, conforme vaticinaram inúmeras profecias.

"De Gloria Olivae" (Da Glória da Oliveira), coincidência ou não, reflete o Papa Benedito ou Bento XVI, pois, a Ordem dos Olivetanos ou Beneditina de São Bento; do qual ele sempre foi devoto; foi criada pelos monges beneditinos, que seguem as regras do mesmo São Benedito ou São Bento.

*A Ordem de São Bento reivindicou, já a muito tempo atrás, que o Papa "De Glória Olivae", (o último da lista de 111 motes papais da profecia de São Malaquias) viria de suas fileiras (a Ordem Beneditina ou Olivetana). 

O próprio São Bento ou São Benedito, profetizou que no fim dos tempos, sua Ordem, também conhecida como os Oliveiros ou Olivetanos, de alguma maneira, lideraria triunfalmente a Igreja Católica em sua luta final contra o mal". E parece que tudo está caminhando conforme as visões dos videntes, santos, místicos e profetas religiosos.

O FUTURO ATAQUE AO VATICANO:

"Um doloroso acontecimento se dará e o trono de Pedro será abalado. Os inimigos agirão com grande fúria e a Igreja do Meu Jesus será perseguida como nunca" (Mensagem de Nossa Senhora, Rainha da Paz, em 01/10/2005 - Anguera/BA-Brasil).


"A fortaleza (o Vaticano) será quebrada. Os homens terão grande decepção. Não será só a Igreja que será abalada, mas, também o coração dos fiéis sentirão o impacto do míssil que a atingirá" (Mensagem de Nossa Senhora, Rainha da Paz, em 15/10/2005 - Anguera/BA-Brasil).


"Queridos filhos, o leão furioso (o terror) atacará a Igreja e causará grandes sofrimentos aos Meus pobres filhos. As cabeças se unirão e planejarão o grande ataque. O ataque será a destruição do Vaticano pelos terroristas árabes. Lembrem-se que eles nos vêem como infiéis, e na visão deles, devemos ser destruídos para que o Estado Islâmico domine a nossa sociedade" (Mensagem de Nossa Senhora, Rainha da Paz, em 22/07/2008 - Angüera/BA-Brasil).


"Um fogo veloz (um míssil) irá cruzar os céus de vários países da Europa. Cairá sobre um famoso templo (a Basílica de São Pedro, no Vaticano, em Roma) e os homens irão chorar e lamentar" (Mensagem em 18/07/2009, dada por Nossa Senhora, Rainha da Paz, em Anguera/BA-Brasil).


"Eu acredito que ataques terroristas similares vão ocorrer no futuro, na Itália, especificamente em Roma. Eu acredito que um grupo religioso fanático executará um ataque em uma escala muito maior, no entanto este será direcionado para algum líder mundial. O foco do ataque será o Vaticano e o Papa" (Mensagem da Senhora da Luz à Ned Dougherty - Estados Unidos).



"E vi uma das suas cabeças (da besta, isto é, do Papado Romano - uma das sete cabeças da besta - a sétima cabeça, ou seja, o sétimo Papa (o Papa Francisco) como ferida de morte por um golpe de espada (ataque), e a sua chaga mortal foi curada; e toda a Terra se maravilhou após a besta" (após o Papado Romano) - (Apocalipse de João - capítulo 13).


"E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças (com as sete pragas da Ira de Deus - conforme cap. 16 do Apocalipse), e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da Grande Prostituta (A Igreja de Roma) que está assentada sobre muitas águas (sobre muitos povos, multidões, nações e línguas da Terra (no continente Europeu); Com a qual se prostituíram os reis da Terra; e os que habitam na Terra se embebedaram com o vinho da sua prostituição.

E os dez chifres (os 10 reinos) que viste na besta (cor de escarlata) são os que odiarão a prostituta (a Igreja e a cidade de Roma), e a colocarão desolada e nua, e comerão a sua carne, e a queimarão no fogo.

Porque Deus tem posto em seus corações, que cumpram o seu intento, e tenham uma mesma idéia, e que deem à besta (cor de escarlata - o oitavo Papa - o Antipapa) o seu reino, até que se cumpram as palavras de Deus" -  
(Apocalipse de João - capítulo 17)

(Parte do texto original de "Las profecías católicas y la expansión del Islam").

Fontes:














ATENÇÃO!

"AO COPIAR E REPOSTAR AS MATÉRIAS, POSTS OU PUBLICAÇÕES DAS PÁGINAS DO SITE DE O PROFETA MUNDIAL, É IMPRESCINDÍVEL E EXPRESSAMENTE OBRIGATÓRIO COLOCAR O AUTOR DO TEXTO E OS DEVIDOS LINKS PARA A PÁGINA DE ORIGEM, SOB PENA DE RESPONDER CRIMINALMENTE POR INFLIGIR A LEI DE COPYRIGHT (LEI DOS DIREITOS AUTORAIS)"


COPYRIGHT - ALL RIGHTS RESERVED - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

"É PERMITIDA A REPRODUÇÃO E DIVULGAÇÃO TOTAL OU PARCIAL DESSA OBRA, DE TODA E QUAISQUER PÁGINAS, PUBLICAÇÕES, MATÉRIAS OU LINKS DESTE SITE, DESDE QUE SEJA CITADA A FONTE DE ORIGEM, ACOMPANHADA DO DEVIDO LINK PARA A PÁGINA DO AUTOR DA MATÉRIA QUE FOR COPIADA OU REPRODUZIDA DAS PÁGINAS DESTE SITE"

Arquivo do blog